Procura por destinos brasileiros cresce 30% no 1º semestre, indica pesquisa online da Expedia

Os turistas nacionais e internacionais buscaram mais os destinos brasileiros durante o primeiro semestre deste ano. É o que aponta levantamento realizado pela agência de viagens online, Expedia. De acordo com o estudo, entre janeiro e junho, a procura pelo Brasil cresceu 30%, sendo o mercado doméstico o que mais demandou viagens dentro do país, correspondendo a 77% da busca no período. Os outros 23% foram preenchidos principalmente por visitantes oriundos de países como Estados Unidos, Argentina, Chile, Reino Unido e México.

 

Entre os destinos mais demandados estão São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Curitiba (PR), Salvador (BA) e Fortaleza (CE). A capital cearense foi a que mais cresceu em buscas no mesmo período e teve a maior duração média de permanência: 3 dias. O mês com maior demanda do exterior no país foi fevereiro.

 

Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, é notória a vontade dos brasileiros em conhecer o próprio país. De acordo com ele, a Pasta está realizando ações focadas no turismo interno para que isso se concretize cada vez mais. “Isso é só o começo. Estamos trabalhando para que as viagens dentro do Brasil se tornem acessíveis aos brasileiros e que gere, além do prazer de conhecer outras culturas e lugares, emprego e renda para a população. Somos um país rico em turismo, mas que era tão pouco aproveitado. Podemos e vamos fazer muito mais”, pontuou.

 

De acordo com o levantamento, se observado o segundo trimestre de 2019 a procura foi ainda maior. O índice cresceu 35%, comparado com o mesmo período do ano passado. Os brasileiros seguem como os que mais buscaram viagens nacionais: 8 em cada 10 foram para algum destino do país. As capitais paulista, carioca, paranaense e brasileira também foram as mais demandadas em abril, maio e junho.

 

Ações de desenvolvimento

 

O Ministério do Turismo tem trabalhado para tornar o setor de Viagens uma das principais molas propulsoras da economia. Em pouco mais de sete meses de governo, a atual gestão já investiu R$ 233 milhões em 410 obras de infraestrutura turística que levarão mais qualidade para os serviços turísticos dos destinos brasileiros. Além disso, a Pasta lançou o programa Investe Turismo, com investimentos de mais de R$ 200 milhões, para alavancar o desenvolvimento de 30 rotas turísticas espalhadas em todo o país.

 

Outra medida realizada nesta nova gestão foi a atração de novas empresas aéreas no mercado. A aposta é impulsionar a entrada de empresas estrangeiras para tornar o setor ainda mais acessível à população, com preços menores e uma diversidade de opções para viajar. A Air Europa foi a primeira a se instalar no país e já está autorizada a operar voos entre destinos nacionais. Outro exemplo é a chegada da low cost argentina Flybondi que incluiu o Brasil em sua estratégia de mercado e já vende bilhetes de Buenos Aires a duas cidades brasileiras: Rio de Janeiro e Florianópolis.

 

Fonte: Mtur

Ministério do Turismo prepara diagnóstico completo de mobilidade turística no Brasil

O Ministério do Turismo iniciou uma série de debates e estudos para preparar um diagnóstico completo sobre a mobilidade no Brasil. A intenção é saber quais os gargalos e as necessidades de cada modal de transporte, seja ele fluvial, aéreo, ferroviário ou rodoviário, para traçar um planejamento de ações e desenvolver políticas públicas mais eficientes ao cidadão.

 

Com isso, o governo federal pretende melhorar a infraestrutura em transporte, qualificar o serviço oferecido e aumentar o fluxo turístico, contribuindo para fomentar a economia, gerar desenvolvimento e empregos.  O grupo será composto por representantes do MTur, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), da Secretaria de Aviação Civil (SAC), de universidades federais e especialistas do setor.

 

Para o secretário nacional de Integração Interinstitucional do MTur, Bob Santos, o resultado é focado nos ganhos que a iniciativa trará ao desenvolvimento não só do turismo, mas do país. “O trabalho em conjunto para a troca de dados e informações em prol de uma política pública de mobilidade turística eficaz no Brasil é uma iniciativa inovadora a nível federal. Queremos envolver todos os atores responsáveis no projeto para expandir e qualificar o acesso ao turismo em todas as regiões do país. Dar ao cidadão um transporte digno e que realmente funcione”, destaca.

 

Santos ainda complementa que o diagnóstico servirá para melhorar o mercado de transporte no Brasil. “Precisamos da concorrência para sermos eficientes”, complementa o secretário. À frente do projeto, a coordenadora de Políticas e Ações Integradas do Ministério do Turismo, Thais Moura, afirma que há um gargalo enorme no mapeamento da mobilidade turística brasileira.

 

“Os destinos, as conexões, as linhas interestaduais e os nichos de mercado são um campo ainda inócuo e não conhecido pelos agentes públicos. Saber usar este segmento trará ganhos sociais e econômicos extremamente positivos para a sociedade. O Ministério do Turismo precisa saber a realidade. Precisamos mapear para propor planos de desenvolvimento que realmente melhorem o acesso dos turistas, passageiros e cidadãos a qualquer tipo de transporte. É uma pauta de inclusão social”, conclui a coordenadora.

 

Especialista na área de transporte, engenharia e mobilidade há mais de 25 anos, o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ) Respício do Espírito Santo esteve em Brasília e participou das rodadas de debates e reuniões com todas as instâncias federais envolvidas no projeto, do qual ele também fará parte. Para o professor, a convergência de conhecimentos e experiências trazem uma visão mais estratégica que culmina na construção de cenários, perspectivas, mapeamentos de soluções e desenvolvimento de novos modelos benefícos para a implementação das políticas públcias de transporte no Brasil.

 

“O turismo é um multiplicador cultural, econômico e social que impacta diretamente e indiretamente no desenvolvimento do país. O trabalho em conjunto vai permitir um diagnóstico amplo de como o brasileiro se desloca para se chegar a uma forma mais segura, de menor custo e mais eficiente tanto para o empresário e, principalmente, para a sociedade. As políticas devem beneficiar a sociedade por intermédio da gestão realizada pelas várias esferas do poder público”, pontuou o especialista.

 

 

Fonte: Mtur

Embratur garante participação nas feiras internacionais no segundo semestres

Termina nesta segunda-feira (12), à meia-noite, o prazo das inscrições para participação nas feiras internacionais do segundo semestre da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo). Os eventos estão previstos na Agenda de Promoção Comercial do Turismo Brasileiro no Exterior. São quatro feiras em países como Estados Unidos, Argentina, Paraguai e Japão, conforme o Edital de Chamamento Público Nº 9/2019, publicado no Diário Oficial da União.

 

“Antes de assumirmos o compromisso de promover o Brasil no exterior, não havia orçamento disponível para a participação das quatro feiras do segundo semestre. Elas só estão confirmadas graças ao reforço que fizemos diante à Presidência da República, para angariarmos mais recursos e garantirmos a participação nestes importantes eventos. A Embratur, em concordância com a Presidência da República, aposta no Turismo para uma retomada do crescimento econômico do País”, garante o presidente do Instituto, Gilson Machado Neto.

 

Mesmo com o cenário de contingenciamento vivenciado nos últimos anos, que reduziram a presença internacional do destino Brasil, a participação em feiras internacionais do setor é importante para o desenvolvimento do turismo estrangeiro no Brasil.

 

Nas feiras que estão com inscrições abertas, a estimativa de retorno é de mais de US$ 14 milhões, com base em valores de negócios gerados no ano passado.

 

Somente empresas e entidades públicas e privadas cadastradas no Sistema de Controle de Inscrições em Eventos (SCIE) do Instituto poderão se inscrever. Para cadastramento e inscrição nesses eventos via SCIE, os interessados deverão acessar o site da Embratur (www.embratur.gov.br) e clicar em “Sistema de Controle de Inscrições em Eventos” na aba “INSCRIÇÕES – SCIE”.

 

A íntegra do edital de chamamento público também está disponível para consulta no site da autarquia. Para esclarecimentos de dúvidas, entre em contato com o Canal de Atendimento ao Coexpositor, pelo e-mail: inscricao.feiras@embratur.gov.br, ou pelo telefone +55 (61) 2023-8632.

 

Confira a lista das feiras internacionais do 2º semestre de 2019:

 

Setembro

IMEX America

Local: Las Vegas (Estados Unidos)

Data: 10 a 12/09

Outubro

Feria Internacional de Turismo da America Latina – FIT Argentina

Local: Buenos Aires (Argentina)

Data: 05 a 08/10     

FITPAR – Feria Internacional de Turismo del Paraguay – FITPAR

Local: Assunção (Paraguai)

Data: 11 a 13/10

Feira Tej Tourism Expo Japan – JATA

Local: Tóquio (Japão)

Data: 24 a 27/10

Porto de Galinhas busca aproximação com governo federal para ampliar ações turísticas

O diretor de Marketing da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Osvaldo Matos de Melo Junior, recebeu, no último dia 7, o secretário de Turismo de Ipojuca, Mário Pilar, um dos municípios da região de Porto de Galinhas, em Pernambuco. Durante o encontro, eles debateram iniciativas para ampliar a chegada de estrangeiros no Brasil, e desenvolver, ainda mais, este que já é um dos principais destinos turísticos brasileiros.

 

Além disso, Pilar trouxe uma carta assinada pelo trade turístico de Porto de Galinhas, na qual pede apoio da Embratur e do Governo Federal para que no terreno, conhecido como a Casa do Governador, uma área com aproximadamente 40 hectares, e uma das últimas áreas verdes remanescentes no local, seja construído um equipamento com capacidade para atrair e fazer com que os turistas possam, também, estender a estada na região pernambucana.

 

“Esta é uma região que já conta com mais de 15 mil leitos, entre 20 hotéis, 240 pousadas e cinco resorts, com uma ocupação média de 75%. Acreditamos que o Governo Bolsonaro e a Embratur se sensibilizem para que possamos encontrar uma destinação para a área que esteja atrelada a estruturação e criação de novos atrativos turísticos para os visitantes que chegam a Porto de Galinhas”, declarou Mário Pilar.

 

O secretário disse, ainda, que a região hoje é responsável por 25 mil empregos diretos, ou seja, mais que o dobro da população dos municípios de Ipojuca e Maracaípe, os dois principais da região. “Com isso, criando oportunidades para habitantes de cidades vizinhas”, destacou.

 

“Sou um apaixonado por essa região do Nordeste brasileiro. Porto de Galinhas é um case de sucesso no turismo do País. Tentarei sensibilizar o presidente Jair Bolsonaro para que naquela área possa ser desenvolvido um equipamento turístico, um parque aquático, por exemplo, que é o desejo das pessoas que já desenvolvem o turismo na região”, afirmou o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto.

 

Segundo dados da Secretaria de Turismo de Ipojuca, passam anualmente mais de 1 milhão de turistas. Destes, 300 mil são estrangeiros. “Recebemos 215 mil argentinos. Com o novo voo Santiago-Recife, estamos trabalhando também mais ativamente o mercado chileno, e buscando mais investimentos para atração de mais turistas do Paraguai”, reforçou o secretário Mário Pilar.

 

Fonte: Embratur

Brasil ganha novo destino de ecoturismo: Rota da Baleia Franca, em Santa Catarina

Os turistas nacionais e internacionais ganharam mais uma opção de ecoturismo no país. A Rota da Baleia Franca, situada em três municípios catarinenses, é a nova alternativa para quem busca observar a natureza de perto. O destino oferta uma experiência única de admirar, por terra, as baleias que passam pelo local. A novidade foi apresentada, neste mês, na 23ᵃ Feira de Turismo Avirrp, em Ribeirão Preto, que teve a participação de representantes do Ministério do Turismo, além de companhias aéreas nacionais e internacionais, operadoras de turismo, redes hoteleiras, companhias marítimas, órgãos públicos de turismo e locadoras de veículos.

 

Contemplando as cidades de Laguna, Imbituba e Garopaba, a Rota da Baleia Franca se consolida no estado como uma das opções do destino Encantos do Sul. Além da observação de baleias, estes municípios também somam outros atrativos turísticos, como as 37 praias, centro histórico com mais de 600 edificações tombadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), observação de botos pescadores, cultura e boa gastronomia.

 

A agente de turismo de Goiânia, Patrícia Guimarães, se interessou pelo roteiro e buscou informações sobre o destino. “Pretendo conhecer e levar esse pacote para vender aos meus clientes, que vão desde o público da terceira idade até jovens que buscam esportes radicais”, disse.

 

O coordenador da rota, Felipe Uzascki, prevê a geração de mais emprego e renda na região. “Realizamos ótimas parcerias com uma das maiores operadoras de turismo do interior de São Paulo e estamos em negociação para a próxima temporada. Além disso, tivemos uma capacitação para 300 agentes de viagem na abertura do evento (em Ribeirão Preto), que renderá bons frutos”, comemorou.

 

A Rota da Baleia Franca

 

A rota é fruto de um projeto do Sebrae e do Governo no Estado de Santa Catarina, com apoio da Encantos do Sul, dos municípios de Laguna, Imbituba e Garopaba e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Saiba mais: http://rotabaleiafranca.com.br/

 

Fonte: Mtur

Foto: Carolina Bezamat/SC Par – Porto de Imbituba

 

Ministério do Turismo destaca parques nacionais no Experiência Braztoa Nordeste, na Bahia

Com o intuito de estimular o turismo e ampliar a experiência dos agentes de viagens nordestinos, o secretário de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, Bob Santos, abriu na quarta-feira (7) a 5ª edição do Experiência Braztoa Nordeste. O evento reuniu cerca de 600 trabalhadores do setor, em Salvador (BA), que puderam aproveitar as experiências dos destinos brasileiros e internacionais, explorando as atividades culturais, gastronômicas e audiovisuais.

 

Durante a solenidade de abertura, o secretário Bob Santos apresentou os avanços conquistados pela nova gestão do Ministério do Turismo durante os 7 meses de governo, bem como os desafios a serem alcançados. “Em pouco tempo, conseguimos dar passos importantes para o desenvolvimento do turismo brasileiro, mas tenho plena convicção de que temos muito mais pela frente. O MTur está no caminho certo para fazer deste setor uma das molas propulsoras da economia”, pontuou.

 

Ainda em sua fala, Bob falou sobre a potencialidade dos parques brasileiros na expansão do turismo dentro do país e para o mundo, sem esquecer da sustentabilidade e da preservação ambiental. “O Brasil possui excelentes produtos turísticos em todas as suas regiões como a Chapada Diamantina, a Serra do Cipó e os Lençóis Maranhenses. Conto com vocês para fazer com que o turismo nesses pontos possa ser bem explorado, proporcionando boas experiências para os visitantes e gerando emprego e renda para as populações locais”, concluiu.

 

De acordo com a Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), a região Nordeste possui extrema importância para a economia e para o turismo nacional, já que representa mais de 50% dos pacotes vendidos pelos associados. A Experiência Braztoa promove relacionamento e capacitação por meio de experiências sensoriais, reunindo agentes de viagens de diferentes partes do Brasil para interagir com operadores, destinos, empresas aéreas e parceiros nacionais e internacionais.

 

Sondagem empresarial

 

Pesquisa inédita realizada neste ano pelo Ministério do Turismo revelou que 6 dos 10 destinos mais procurados em viagens nacionais nos meses de junho e julho deste ano estão na região Nordeste. A sondagem foi realizada com 2 mil agências de viagens do país. Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN), Porto Seguro (BA), Ipojuca (PE) e Salvador (BA) foram os destinos preferidos dos viajantes nacionais para curtir as férias do meio do ano.

 

Fonte: Mtur

Plano de desenvolvimento de Angra terá duplicação de acesso à cidade e trem turístico

No segundo dia de trabalho da missão técnica capitaneada pelo Ministério do Turismo em Angra dos Reis, representantes da prefeitura e dos governos federal e estadual trabalham de forma integrada para finalizar o plano de ação que vai potencializar o turismo na região. O conjunto de iniciativas será apresentado pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, para o presidente Jair Bolsonaro na próxima reunião ministerial, agendada para terça-feira (13).

 

Entre as ações previstas estão a duplicação da BR 101, no trecho de acesso ao município, a construção de um complexo turístico na Marina do São Bento, reativação de trem de passageiros, usina de dessalinização de água, criação de estações de tratamento de esgoto, ampliação da pista do aeroporto e construção de um novo terminal de passageiros.

 

“Temos uma oportunidade muito clara de promover o desenvolvimento sustentável por meio do turismo na região e vamos concentrar esforços nessa missão”, comentou Marcelo Álvaro Antônio, que determinou a realização da visita técnica antes de pedir exoneração do cargo para votar a reforma da previdência, em segundo turno, na Câmara dos Deputados. O presidente Jair Bolsonaro tem enfatizado o potencial do turismo para ajudar na geração de emprego no Brasil e cita Angra dos Reis como um exemplo.

 

O plano de ação está numa matriz organizada em ações de infraestrutura, turismo, meio ambiente, segurança, política urbana, tecnologia e inovação. A ideia é envolver todas as áreas do governo federal que tenham ligação com os projetos a serem desenvolvidos no curto, médio e longo prazo.

 

Fonte: Mtur

Técnicos do Turismo vão a Angra dos Reis para traçar plano de desenvolvimento turístico

Uma equipe técnica do Ministério do Turismo visitou, ontem (6), a cidade de Angra dos Reis, situada no sul do Estado do Rio de Janeiro. A ida do grupo teve o objetivo de detectar alguns dos gargalos que têm travado o desenvolvimento do turismo na região. Além disso, a iniciativa faz parte do projeto do presidente Jair Bolsonaro de tornar o local um dos maiores polos turísticos do Brasil e também referência para o mundo, atraindo recursos para o país e preservando a fauna e a flora da região.

 

A expectativa do Ministério do Turismo é investir nos próximos anos em ações que vão aprimorar a oferta turística, além de gerar emprego e renda para a população local. Entre os projetos previstos está a reativação do trem turístico da Mata Atlântica, entre Rio Claro e Angra dos Reis. Parado há mais de 20 anos, o empreendimento pode ficar pronto em seis meses a partir do aval da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). A antiga FCA já assinou documento se comprometendo a investir mais de R$ 40 milhões no trecho.

 

 

Ações para o turismo de base comunitária em comunidades quilombolas e indígenas também são iniciativas contempladas no trabalho que será desenvolvido pelo MTur no município. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, antes de se licenciar do cargo para votar a reforma da previdência em segundo turno na Câmara dos Deputados, afirmou que a missão técnica vai contribuir para o projeto do presidente Jair Bolsonaro de alavancar o turismo em Angra dos Reis.

 

“Estamos empenhados em fortalecer a região por meio do turismo e seu potencial para gerar emprego e renda à população, sempre aliado à preservação dos recursos naturais. Queremos um projeto que ative, de fato, o potencial que Angra dos Reis possui para se tornar um dos principais destinos para os turistas de viagens nacionais e internacionais”, reiterou o ministro, que determinou a realização da missão técnica do MTur.

 

Durante a visita, o secretário de Meio Ambiente de Angra dos Reis, Mário Sérgio da Glória Reis, destacou a importância de potencializar os atrativos para expandir a oferta turística da região. “O que temos hoje em Angra são parques de papel e o que queremos é transformar em unidades sustentáveis”, comentou o biólogo, pós-graduado em planejamento ambiental e direito ambiental.

 

De acordo com a última Pesquisa de Demanda Turística Internacional no Brasil, realizada pelo Ministério do Turismo, Angra dos Reis ficou entre as cinco cidades brasileiras que mais receberam turistas estrangeiros para o lazer. O local só ficou atrás do Rio de Janeiro (RJ), Florianópolis (SC) e Foz do Iguaçu (PR). O estudo também trouxe que nove em cada 10 turistas, quando visitaram o município, tinham como motivo de viagem o lazer, permaneceram em média cinco dias e gastaram cerca de US$ 66.

 

Dona de grandes belezas naturais, Angra dos Reis conta com 365 ilhas e praias que podem ser percorridas por meio de passeios de lancha, escuna ou taxi-boat. Da cidade, os turistas podem partir de barco para Ilha Grande, a maior ilha da baía, onde não há circulação de carros. Lá, os viajantes podem escolher uma das 113 praias de variados tamanhos e características, com águas abrigadas ou em mar aberto. Além disso, trilhas, mergulho, snorkel, mountain bike, surf, caiaque, stand up e acampamentos são atividades que estão à livre escolha dos turistas.

 

A região ainda contempla uma grande diversidade de vida marinha, como peixes de inúmeras espécies, moluscos, crustáceos, tartarugas e moreias. Fora do mar, os turistas podem conferir o Centro Histórico da cidade, que compreende o casario colonial, conventos e igrejas, além de restaurantes do bairro da Vila do Frade.

 

Turismo sustentável

 

Um dos segmentos prioritários pelo Ministério do Turismo, a prática de um turismo responsável, além de envolver a sustentabilidade, considera e valoriza também a ética, a inclusão e o compromisso com os benefícios sociais que a atividade pode gerar. Um exemplo é o Mapa do Turismo Sustentável, ferramenta do MTur disponível em três idiomas, que serve como fonte de consulta para turistas nacionais e internacionais que buscam por esse tipo de experiência de viagem.

 

Além disso, está prevista no Plano Nacional do Turismo 2018-2022 a execução da Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais, uma das entregas dos 100 primeiros dias de governo. A iniciativa representa um marco na valorização e preservação dos patrimônios naturais e culturais do país. A Pasta também busca e incentiva o uso consciente e sustentável das áreas de preservação ambiental para atividades turísticas, inclusive promovendo a disseminação de boas práticas e o manejo adequado dos recursos naturais, alinhados com a inclusão social e a geração de emprego e renda nessas áreas.

 

Fonte: Mtur

Associação de Pousadeiros de Noronha emite Selo de Controle para pousadas regulares

A Associação de Pousadeiros da ilha, com o apoio da Administração de Fernando de Noronha, resolveu implantar o Certificado de Legalidade nas pousadas que estão em situação regular no arquipélago. É um selo que garante que o estabelecimento atende todas as normas de segurança com diversos órgãos, além da administração distrital, como Corpo de Bombeiro, Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e Vigilância Sanitária, com aspectos sustentáveis que não agridem o meio ambiente. Nesse primeiro momento, o selo é virtual e é colocado nos sites oficiais da pousada. Em agosto, haverá a produção do selo físico.

 

 

Fernando de Noronha atualmente conta com 128 pousadas regulares, que detém o Termo de Permissão de Uso (TPU) no modelo misto, que permite o funcionamento do estabelecimento. Operando de acordo com todas as exigências de infraestrutura e segurança, dentro de padrões rigorosos, para acomodar os turistas da forma correta, que não ocasione eventuais riscos à integridade dos hóspedes. Os estabelecimentos exercendo atividades na Zona Urbana, como definido há 17 anos no Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA).

 

“O Certificado de Legalidade permite ao turista saber que está se hospedando em um local que passou por uma série de critérios rigorosos para o funcionamento. Tanto da Administração quanto de outros órgãos. A nossa preocupação é oferecer aos visitantes as melhores opções de estadia, com pousadas seguras e ambientalmente corretas”, diz Guilherme Rocha, administrador da ilha.