ARARAS – SP

Conheça o Município Turístico de Araras

Com 135.506 habitantes, segundo o IBGE de 2020, e distante 174 km da Capital encontra-se Araras, uma das Estâncias Turísticas do Estado, pertencente à Região Metropolitana de Piracicaba.  A cidade teve início em 1862, quando foi erguida a primeira capela de Nossa Senhora do Patrocínio das Araras, padroeira do município e foi inaugurada no dia 15 de agosto do mesmo ano, dia da padroeira e da comemoração do aniversário da cidade. O nome “Araras” é referência ao nome do rio que corta a cidade e por causa da grande quantidade dessas aves na região.

A cidade é um ótimo destino turístico para os religiosos, principalmente os católicos. Em 1879, no mesmo ano que Araras ganhou o título de município, foi fundada a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Patrocínio de Araras, que foi finalizada no início de 1881. Com um estilo neoclássico, ela foi construída pelo arquiteto Tristão Franklin de Alencar e é uma réplica da Basílica de São João de Latrão, em Roma. Em 15 de agosto de 2010, o Papa Bento XVI elevou ao título de Basílica Menor. Ela possui um museu e uma loja de artigos religiosos.

No local onde ficava a primeira capela da cidade, foi erguida a Capela Santa Cruz. Antigamente, o local servia como paragem dos tropeiros. Como parte da valorização da cultura afrodescendente, todo ano acontece o “Cortejo das Águas de Oxalá” na Capela, com louvores aos orixás e lavagem das escadarias. O local foi tombado em 1990. A diversidade religiosa é marcante: além da Capela, há o Centro Espírita “Caibar Schutel”, que representa a memória do desenvolvimento do espiritismo na cidade, a Igreja Presbiteriana de Araras, uma das seitas protestantes mais antigas da cidade, a Igreja Nossa Senhora Aparecida e a estátua do Cristo Redentor, construída em homenagem aos cem anos do município, todos foram tombados e representam uma parte importante do turismo religioso de Araras.


O Parque Municipal “Fábio da Silva Prado”, conhecido como Lago, tem muito verde e até o Bonde Turismo, atração garantida
Arara também é destaque em cultura. Considerada uma das maiores e mais belas bibliotecas do interior paulista, Araras a Biblioteca Municipal “Martinico Prado” foi inaugurada no dia 11 de setembro de 1954, com uma construção moderna para a época. A Casa de Cultura “Emílio Silvestre Wolff” abriga um acervo de mais de 300 quadros, gravuras e algumas esculturas. O edifício onde fica a atual Casa da Cultura já foi fórum, cadeia e até Câmara Municipal. A Casa da Memória “Pedro Pessoto Filho” é o museu de Araras, mas também já foi o antigo Solar “Benedita Nogueira”, um educandário para meninas órfãs e depois tornou-se a antiga Prefeitura. Tem mais: o Casarão do Artesão, o Centro Cultural “Leny de Oliveira Zurita” e o Teatro Estadual de Araras “Maestro Francisco Paulo Russo”, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer.Mas se o turista está em busca de lazer e mais tranquilidade, pode aproveitar a Praça Monsenhor “Paschoal Francisco Quércia”, conhecida como Calçadão, com um conjunto de prédios arquitetônicos, jardins e um palco para pequenas apresentações. Já a Praça Barão de Araras é conhecida por ser um dos maiores jardins públicos do país. E quanto o tem é parque, Araras domina:  o Parque Ecológico e Cultural “Gilberto Ruegger Ometto” é dividido entre a área de lazer e a de eventos. Na de lazer há lagos, arborização, áreas para caminhadas e outras atividades, como arvorismo, tirolesa e pedalinho. O Parque Municipal “Fábio da Silva Prado”, conhecido como Lago, possui uma área arborizada, atividade física, ciclovia, fonte interativa, lago de carpas, área para apresentações culturais, o pedalinho e o Bonde Turismo, que percorre os pontos turísticos da cidade aos finais de semana.

A Casa de Cultura “Emílio Silvestre Wolff” abriga um acervo de mais de 300 quadros, gravuras e algumas esculturas
Importante: Araras é conhecida como Cidade das Árvores, pois sediou em 1902 a primeira Festa da Árvore no Brasil, considerado o primeiro movimento ecológico do país e a primeira manifestação em defesa do meio ambiente da América Latina.
Como chegar
Para ir até Araras, saindo da Capital, é preciso acessar a SP-348 (Rodovia dos Bandeirantes) e a SP-330 (Rodovia Anhanguera) até a saída 170.
Mais informações: https://araras.sp.gov.br

ARAÇATUBA – SP

Conheça o Município Turístico de Araçatuba

Localizado no noroeste paulista, Araçatuba recebeu este nome como resultado da presença abundante da fruta denominada araçá na região. Nasceu em dois de dezembro de 1908, e emancipou-se vários anos depois, em 1921. Passou pela expansão cafeeira e depois sua economia foi caracterizada pelo crescimento das lavouras de cana-de-açúcar. Este quadro inclui também a pecuária, atividade que a tornou conhecida no país como Capital do Boi Gordo devido às negociações da arroba do boi realizadas na Praça Rui Barbosa, dividindo sua importância, atualmente, com o setor sucroalcooleiro.

Com uma população estimada, pelo IBGE/2020, em 198.129 pessoas, é MIT – Município de Interesse Turístico desde fevereiro de 2019 e assim as atividades turísticas destacaram-se e hoje integra o Circuito Turístico Rotas do Sol com mais quatro cidades, Birigui, Buritama, Piacatu e Penápolis. O nome foi escolhido porque o ponto em comum entre todas as cidades é o sol durante quase o ano todo facilitando o turismo de lazer, esportes náuticos, compras, cultural, de pesca, entre outros. Pelo turismo cultural, Araçatuba oferece o Museu de Artes Plásticas, o Museu Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues, o Museu Marechal Rondon, o Museu do Som, Imagem e Comunicação e o Museu Rintaro Takahashi.  Bom saber que o Museu Histórico e Pedagógico Marechal Cândido Rondon mostra a história da cidade com objetos, artefatos, entre outros. Fica em um casarão construído no século passado em estilo eclético e requintado.

O Bosque Municipal, os parques ecológicos e o Hot Planet Thermas Park são os passeios turísticos de Araçatuba inseridos no Circuito Rotas do Sol. Localizados em diferentes regiões do município, os espaços públicos já costumam receber moradores e visitantes para lazer principalmente em feriados e finais de semana.

Toda a história de Araçatuba está no acervo do Museu Histórico e Pedagógico Marechal Cândido Rondon

Vale detalhar que o Bosque Municipal agrega atividades ligadas ao lazer, turismo, prática de atividades físicas, culturais, de educação ambiental e de pesquisa. Possui cerca de 117 mil metros quadrados e abriga em torno de 40 espécies de animais, algumas com risco de extinção. A flora é rica em espécies nativas e abriga diversas espécies de aves silvestres. Por sua vez, o Hot Planet Thermas Park é um parque aquático privilegiado por suas águas termais naturais, alcalinas e ricas em propriedades benéficas à saúde, como Bicarbonato e Vanadium, com PH de 9.15, que promovem relaxamento, sensação de bem estar, combatem o stress e a ansiedade. Localiza-se em meio a uma natureza exuberante, em uma área de 200 mil metros quadrados e o acesso é por meio de ingressos que são cobrados.

Os atrativos são diversos nesta cidade que fica a 519 quilômetros da Capital. A Lagoa José Miranda, popularmente conhecida como Lagoa do Miguelão, é um espaço verde localizado no bairro Amizade e é frequentada por crianças e adultos que fazem atividades físicas em suas redondezas. Há também a Prainha, na verdade, a Praia Municipal Milton Camargo, uma opção de lazer da cidade que se aproveita da água do rio Tietê.

Outra atração é o Zoológico Municipal Dr. Flávio Leite Ribeiro, um dos lugares que mais recebe turistas em Araçatuba. Conforme pesquisa que integra o Plano Diretor de Turismo, o espaço é o quarto destino mais frequentado por quem visita a cidade. Bom ressaltar que Araçatuba fica nas proximidades do rio Tietê que, na região, é considerado limpo, é o primeiro município não ribeirinho do estado a realizar captação de água diretamente do rio, desde 2013. Em tempo: a pesca esportiva e os esportes náuticos estão ganhando preferência entre os visitantes, isto porque a cidade oferece praias fluviais.

A Praia Municipal Milton Camargo é uma opção de lazer da cidade que se aproveita das águas do rio Tietê

É preciso também destacar a Exposição Agropecuária de Araçatuba, evento tradicional do setor agropecuário que ocorre anualmente no Recinto de Exposições Clibas de Almeida Prado, no mês de julho. Trata-se da terceira maior festa deste tipo do Brasil. E a fama de Araçatuba passa pela gastronomia, uma vez que o prato típico eleito como o principal da cidade é o cupim casqueirado, que existe há 35 anos e já é famoso em todo Estado. Na alta temporada, principalmente em dezembro, os restaurantes locais chegam a vender cerca de seis toneladas de cupim.Como chegar

Para ir até Araçatuba, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 210, a SP-209 (Rodovia João Hipólito Martins) e a SP-300 (Rodovia Marechal Rondon) até a saída 530.

Mais informações: www.aracatuba.sp.gov.br

APIAÍ – SP

Conheça o Município Turístico de Apiaí

“O barro dá escondido. (…) Ele dá escondido, mesma coisa do ouro”, foi como a artesã Ana Gonçalves descreveu em 1989 a sua habilidade artística em cerâmica, na inscrição que está em uma placa no acervo da Casa do Artesão de Apiaí. Praticamente uma das maiores cidades do Alto Vale do Ribeira, Apiaí é um Município de Interesse Turístico – MIT desde junho de 2018, cuja importância regional está ligada tanto à produção de cimento industrial e cerâmica artística, como foi no passado, quando produziu jazidas de ouro. Mas é exatamente nesses quesitos ligados à sua história é que essa cidade paulista, com uma população de 24.226 habitantes (pelo IBGE de 2020) e localizada a 325 km de São Paulo, na Região Administrativa de Itapeva. mostra que sabe muito bem atrair turistas.
E não são poucas as atrações de Apiaí. A começar pela topografia acidentada com declives e planaltos, por ter muitas grutas e cachoeiras, a cidade é rodeada pela maior área remanescente de Mata Atlântica do País e sua região é declarada pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) como Reserva da Biosfera do Patrimônio Mundial. O município está situado a 1050 m acima do nível do mar, sua riqueza paisagística se compõe de recursos naturais de rara beleza e não é à toa que é chamado de “O Portal da Mata Atlântica”. Apiaí tem clima frio, muito úmido, chamado de subtropical temperado marítimo, sendo que em apenas duas ocasiões os apiaienses chegaram a ver queda de neve (em 1942 e 1975).
Cachoeira Arapongas, 65m de altura, a mais alta do PETAR, com vista privilegiada para um cânion em meio à Mata Atlântica

Apiaí fica no ponto mais alto da Serra de Paranapiacaba, é uma das portas de entrada para o PETAR (o Parque Estadual Turístico do Alto Vale do Ribeira), que recebe 42 mil pessoas anualmente, onde há rios, cachoeiras, 474 cavernas, biodiversidade e esportes radicais em meio à Mata Atlântica para fazer a alegria de todos os visitantes.  Vale dizer que a mais alta do PETAR é a cachoeira Arapongas, com 65m de altura, encravada em um Vale com vista privilegiada para um cânion em meio à Mata Atlântica. Já no Parque Natural Municipal Morro do Ouro, de 570 hectares, há trilhas e mirantes, além de ruínas das antigas minas de exploração do ouro que começou a partir do século XVII. Bandeirantes exploradores fundaram a Villa de Apiahy que deu origem à cidade.

Já na cidade, os turistas podem contar com hotéis, pousadas, restaurantes e opções de compras de peças artesanais e comidas típicas da região. Um dos equipamentos turísticos da cidade, a Casa do Artesão possui acervo de mais de 570 obras em cerâmica feitas por moradores da zona rural, onde também se podem comprar peças utilitárias e decorativas e até compotas de doces. Trata-se, na verdade de um museu, que além de ter um valor histórico na própria construção, datada de 1901, a casa está ligada à história da cidade de vários modos: na Revolução Constitucionalista de 1932 servia como abrigo de feridos, depois se transformou num clube, onde se dançava nos dias de festas e era sede para a Sociedade de Amigos do Município e desde 1973 abriga o trabalho das famílias das ceramistas. Além das peças em cerâmica existem ainda outros artesanatos feitos em palha e taboa.

A Casa do Artesão, em local de valor histórico, possui um acervo de mais de 570 obras em cerâmica, palha e taboa

Conta a história que o nome Apiaí, em tupi-guarani, significa “rio dos índios” ou, ainda, “rio menino” e sua região foi desbravada pelo capitão-mor Francisco Xavier da Rocha, que veio de Minas Gerais com 150 escravos, quando um caçador de Itapetininga contou sobre a existência de ouro na nascente do rio Apiaí. O Morro do Ouro ficou sendo então o epicentro da garimpo a partir do século XVII. No início, o povoado se chamava Capoeiras (onde hoje está o distrito de Araçaíba), ganhando em 1770 o nome de Santo Antônio das Minas de Apiaí e, finalmente, Apiaí. O ouro deixou de ser explorado somente em 1942. Apiaí possui hoje uma Reserva Biológica Municipal de 2.247 alqueires de área, para preservar o remanescente florestal e possibilitar atividades de turismo educacional.

Como chegar

Para ir até Apiaí, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 78; a SP-075 (Rodovia José Ermírio de Moraes) até a saída 7-B; a SP-091/270 (Rodovia Celso Charuri); a SP-270 (Rodovia Raposo Tavares); a SP-127 (Rodovia Francisco da Silva Pontes), vias urbanas de Capão Bonito e a SP-250 (Rodovia Sebastião Ferraz de Camargo Penteado) até a saída do km 321.

Mais informações: www.apiai.sp.gov.br

APARECIDA – SP

Conheça o Município Turístico de Aparecida

Quando o assunto é turismo religioso e devoção de fé, o destino mais lembrado por todos no Brasil é da estância turística de Aparecida, que leva este nome por causa da Nossa Senhora Conceição Aparecida, padroeira do Brasil. Segundo o IBGE/2020, a população estimada é de 36.185 pessoas e este destino recebe mais de 15 milhões de visitantes por ano, em especial em 12 de outubro, feriado nacional. Este dia foi escolhido, pois a data já abrigava outros fatos importantes, como a chegada de Cristóvão Colombo às Américas, em 12 de outubro de 1492, e no ano de 1822, no mesmo dia, após a independência do Brasil, a nação ganhou seu primeiro imperador, Dom Pedro I.

Situada na Região Metropolitana do Vale do Paraíba como o principal local do Circuito de Fé, Aparecida tem sua localização privilegiada no interior de São Paulo, a 169 km de distância da Capital, cortada pela Via Dutra, importante rodovia brasileira, e está entre São Paulo e Rio de Janeiro. A “Capital Mariana da Fé” é o maior ponto turístico religioso do Brasil e um dos principais da América Latina.

O grande atrativo do município é o Santuário Nacional, sendo o maior santuário mariano do mundo, segunda maior basílica e um dos cinco mais visitados. Aqui nesta estância, foi construído em 1955 para abrigar a imagem de Nossa Senhora Aparecida.Vale lembrar que quando os visitantes vão em direção ao estacionamento, encontram o Presépio que abriga esculturas que reproduzem importantes fatos histórico-religiosos do nascimento de Jesus Cristo e outras representações, como o encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas.


Com 392,2 m de comprimento, a Passarela da Fé é o caminho entre a Basílica Velha e o Santuário Nacional

Próximo ao Santuário, está localizada a Passarela da Fé, grande atrativo com 392,2 metros de comprimento e 35 de altura, que segue para a parte alta da cidade e seu formato em S é uma homenagem à padroeira. Vale dizer que muitos devotos pagam suas promessas atravessando a Passarela de joelhos. Ainda próximo ao Santuário, tem o Teleférico que também liga a parte alta da cidade onde está a Basílica Velha, marco histórico da cidade, construída em 1745, em um estilo barroco. Foi o primeiro local a abrigar a imagem da Nossa Senhora e é um dos lugares mais visitados pela sua importância e história. Seu tombamento oficial pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) aconteceu em 18 de abril de 1982.

Mas as atrações de Aparecida não param por aí: o Morro do Cruzeiro é um ponto de peregrinação com esculturas que representam as estações da via sacra; o Memorial Redentorista abriga um museu, a Capela Memorial Redentorista e a Capela em homenagem ao Padre Vítor, conhecido como Apóstolo do Rádio e está em processo de beatificação; o Mirante da Santa, localizado no alto do morro da Rua Antônio Bittencourt da Costa, com seus 17,6 metros de altura é considerado o maior monumento dedicado à Aparecida no mundo; no Porto Itaguaçu o visitante pode andar de barco pelo Rio Paraíba do Sul, local onde foi encontrada a imagem; já no caminho do Porto, encontra-se o Mirante das Pedras, com a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida de 1,8 m e a bela vista da várzea onde corre o Rio Paraíba e a Serra da Mantiqueira. Antes de ir embora, o turista não pode deixar de comprar as lembrancinhas de Aparecida na Feira Livre. Gosto para todos.

A história da cidade está ligada com a fé e tudo começou quando o Conde de Assumar estava de passagem pela Vila de Guaratinguetá a caminho de Vila Rica, onde está o atual município de Ouro Preto, para assumir o cargo de Governador da Capitania das Minas Gerais. O povo decidiu fazer um jantar para o Conde, três pescadores foram para o Rio Paraíba do Sul pescar para providenciar o jantar, quando estavam quase desistindo, já que não tinham conseguido nenhum peixe, encontraram a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e, logo após a descoberta da imagem, conseguiram tantos peixes que o barco quase afundou. Este acontecimento é considerado a primeira intercessão de Aparecida.


O Morro do Presépio, inaugurado em 2006, fica nos pátios do Santuário Nacional, com mais de 70 esculturas

A imagem da padroeira ficou na casa de um dos pescadores até 1745, quando foi construída a capela no Morro dos Coqueiros. Os milagres atribuídos à Santa foram constantes que originaram a criação de uma freguesia de Guaratinguetá, batizada de Aparecida. A peregrinação dos fiéis aumentou bastante e, em 1888, foi construída a Basílica Velha ou Matriz Basílica e alguns anos depois, em 1928, ganhou sua emancipação e o Santuário Nacional em 1955. Desde 1980, quando o Papa João Paulo II consagrou a Basílica, 12 de outubro é comemorado o dia da padroeira do Brasil.

Como chegar em Aparecida, saindo de São Paulo: é preciso acessar a BR-116 (Rodovia Presidente Dutra) até a saída 71.

Mais informações: www.aparecida.sp.gov.br

ANHEMBI – SP

Conheça o Município Turístico de Anhembi

Fundada às margens do Rio Tietê, Anhembi está a 240 km de São Paulo e faz parte do Roteiro Turístico Pólo Cuesta. A cidade, com 6.819 habitantes (IBGE, 2020), encanta seus visitantes com suas tradicionais festas, beleza natural e hábitos culturais. Vale ressaltar que a cidade que se tornou MIT (Município de Interesse Turístico) em maio de 2019, hoje é conhecida pelo país todo pela Festa do Divino, maior evento turístico religioso da cidade que recebe anualmente cerca de 50 mil pessoas, que enchem as ruas em um ato de fé e devoção ao Espírito Santo.  As festividades são realizadas há mais de 150 anos e integram o calendário oficial de eventos do Estado de São Paulo desde a década de 80.
Esta é uma comemoração intensa. Todos os anos fiéis passam de casa em casa levando a bandeira do Divino e cantando músicas tradicionais. A peregrinação dura nove dias e o ápice da festa ocorre após a missa quando as pessoas vão a cerimonia do Encontro das Canoas, onde é realizada a travessia do Rio Tietê, utilizando barcos e dois batelões. A festa ainda conta com fogos de artifício que simbolizam o Pentecostes, a vinda do Espírito Santo.  Ainda sobre as atividades religiosas da cidade, a Casa do Divino Espírito Santo, sede da Irmandade do Divino, onde acontecem as festas religiosas, bingos leilões de gado. É também o local onde pode-se encontrar um acervo de quadros com fotografias que retratam a história da Festa do Divino e o Altar do Divino com suas bandeiras e fiéis.

Anhembi Camping, às margens da represa de Barra Bonita, é opção para  pescar, praticar esportes náuticos ou só descansar

Para os mais aventureiros a cidade conta com alguns projetos como o Cuesta Cicloturismo, uma iniciativa do Pólo Turístico Cuesta, que nada mais é do que uma variedade de roteiros para viagens de aventura utilizando bicicletas. O projeto também possui outras modalidades, como roteiros para viagens de mochileiros, cavaleiros e pilotos automobilísticos. A Travessia Cuesta de Cicloturismo é formada por onze etapas, 520 km de percurso no total. Todos os roteiros são autoguiados e possuem sinalização personalizada.  O trajeto ainda passa por doze cidades e vilarejos que fazem parte do Pólo Turístico Cuesta. Todo o percurso é repleto de paisagens únicas, tornando a aventura muito mais especial.

Para quem busca um turismo mais histórico, a estação de Pirambóia é um importante ponto a se conhecer. Inaugurada em 1888, a estação é um dos prédios mais antigos da cidade, no qual ainda se nota traços da antiga arquitetura da Sorocabana. O monumento já foi um dos principais meios de transportes ferroviários do Brasil e hoje é um marco histórico de Anhembi. E para os amantes da natureza, o Anhembi Camping é uma boa opção bem às  margens da represa de Barra Bonita. Além de estar rodeado por uma imensa área verde, turistas e moradores podem pescar e praticar esportes náuticos. O local foi inaugurado em 1998, com a intenção de atrair mais visitantes e proporcionar lazer para os moradores.

Festa do Divino, maior evento turístico religioso, que acontece há mais de 150 anos, recebe cerca de 50 mil pessoas

Conta a história que o município de Anhembi foi fundado pelos Bandeirantes, à margem esquerda do rio Tietê. O desenvolvimento do povoado foi marcado pelo comércio interestadual feito pelos tropeiros, e inaugurou o processo político-administrativo local. Inicialmente, em fevereiro de 1866, passou à freguesia do município de Botucatu e, mais tarde, em julho de 1867, foi transferido para o município de Constituição, atual Piracicaba. A freguesia voltou a ser incorporada ao município de Botucatu em julho de 1869 e, em abril de 1891, foi transformada em vila. Em de junho de 1934, a sede do município foi transferida para Pirambóia e a cidade retornou à condição de distrito, o que perdurou até 24 de dezembro de 1948, quando o município adquiriu definitivamente sua autonomia. Os indígenas davam, ao rio Tietê, a denominação de “Anyemby” que, em português, significa rio dos Anhambus (ave abundante na região em épocas passadas). Este foi o motivo do nome da cidade.

Como chegar

Para ir até Anhembi, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 143-A, a SP-141 (Rodovia Mário Batista Mori), a SP-143 (Rodovia Floriano de Camargo Barros), a SP-300 (Rodovia Marechal Rondon) até a saída do km 224 e a SP-147 (várias denominações).

Mais informações: www.anhembi.sp.gov.br/

ANALÂNDIA – SP

Conheça o Município Turístico de Analândia

A Estância Turística de Analândia já teve outras denominações: começou com o nome de Cuscuzeiro, explicado pelo formato do pico que marca a sua paisagem, cerca de três km do centro da cidade e também já foi chamada de Anápolis, em virtude de sua padroeira ser Sant’Ana. Localizada no centro-leste do estado paulista, distante 224 km da Capital, Analândia integra a Região Metropolitana de Piracicaba. As belezas naturais são grandes aliadas das atividades turísticas que envolvem cachoeiras, riachos, morros proporcionando opções de lazer com interessantes rotas de passeio.

Com uma população estimada de 5.056 pessoas, de acordo com o IBGE/2020, Analândia obteve o título de estância em 1966 e desde então o setor turístico local, em constante trabalho, valeu-se de uma generosa natureza, com destaque para vários refúgios naturais, o que proporciona a vocação para o turismo ecológico e oportunidade é o que não falta para os entusiastas. Por isso, a região é frequentada pelos adeptos de bóia cross, canyoning, rafting, cascading, arvorismo, tirolesa, cavalgadas, caminhadas, escaladas, rapel, cicloturismo, passeio de trator, exploração de cavernas, banho de cachoeira, voo livre, visita aos atrativos rurais e até contemplação de belas paisagens. Um outro fator positivo deste destino é o clima, calor durante o dia e friozinho nas madrugadas, propiciando bem-estar aos visitantes.

Em Analândia, a Cachoeira Salto Major Levy é uma das mais visitadas da região, localiza-se perto da entrada da cidade.

Entre os prédios históricos da era do café, o turista deste destino também pode passear pela Antiga Estação Ferroviária – “Annápolis”, da Cia. Paulista de Estrada de Ferro, adquirida e restaurada por particulares. Vale destacar que ainda mantém em seu pátio um vagão original de Maria Fumaça e a Casa do Chefe da Estação. Bom lembrar que Annápolis foi o primeiro nome de Analândia, homenageando a sua padroeira.  Já para os interessados no Turismo Religioso, os analandenses orgulham-se em mostrar a Igreja Matriz de Sant’Ana, cuja pedra fundamental foi lançada em 23 de outubro de 1887. Está localizada na praça dos expedicionários e guarda, além da sua arquitetura original, belas imagens sacras. Como padroeira da cidade, há uma imagem centenária de Sant’Ana, em madeira, doada em sua homenagem pelos fundadores do município e que está exposta na igreja.
Além disso, há eventos pelo ano todo na cidade. Eis os principais, estão o Carnaval (Fevereiro/Março), Boi no Rolete (Maio/Novembro), Tradicional Festa de Sant‘Ana (Padroeira da cidade) e Festa de Santo Antônio (Julho), Romaria dos Cavaleiros (Junho e Julho) além de Leilões de animais nas fazendas durante o ano.

A Cachoeira da Bocaina, em Analândia, tem 45 m de queda d’água e possui uma belíssima vista de lá de cima.

Curiosidades

• Analândia significa Terra da Ana, do germânico land= terra. Conta a história que, em dezembro de 1906, a Vila de Anápolis, sede do município e do distrito do mesmo nome, foi elevada à categoria de cidade.
• Em novembro de 1944, devido à dualidade de nome, entre municípios brasileiros, foi mudada a denominação de Anápolis para Analândia.
• Em 1966, por conta da qualidade de sua água e principalmente do seu clima, o município recebeu o título de estância climática, hoje turística.

Não deixe de ir

• …ao Cuscuzeiro, uma enorme pedra que se impõe por trás da área urbana da cidade. Especialistas chamam essa formação de Morro do Testemunho porque é um testemunho do que era a superfície do planeta há milhares de anos. É uma elevação rochosa que lembra um enorme cuscuz, por isso o seu nome.
• …ao Morro do Camelo, uma elevação rochosa que parece um camelo deitado devido a sua forma de duas corcovas, dão a sua denominação e fica bem e em frente ao Cuscuzeiro. A escalada é fácil, podendo ser feita sem a necessidade de equipamentos e seu topo pode ser atingido a pé, através de trilhas. Em tempo: das corcovas do Camelo avista-se toda a cidade de Analândia.
• …à Reserva Natural da Ponte Amarela, uma importante reserva ecológica com área de 15 mil m², a cinco minutos do centro da cidade e é ideal para caminhadas, onde o visitante pode contemplar várias espécies da vegetação nativa e preservada. Há um curso d’água sobre rochas, do córrego da Olaria, que oferece, logo na entrada do parque, uma corredeira e uma piscina natural com prainha e várias pequenas cachoeiras no seu percurso, ideal para banhos de sol.
• …à Cachoeira da Bocaina, com 45m de queda d´água e com uma piscina natural em baixo; Cachoeira do Salto Major Levy – possui quedas d’água muito convidativas e espaço com restaurante; Cachoeira do Escorrega – bom para crianças, essa queda d’água é uma das mais seguras e tranquilas de Analândia. O diferencial está em sua boa infraestrutura, que conta com restaurante, estacionamento e camping.
Como chegar
Partindo de São Paulo, o turista tem que seguir pela Rodovia dos Bandeirantes (SP-348) até a Rodovia Washington Luís (SP-364). Depois, continuar pela Rodovia Deputado Rogê Ferreira (SP-225), que leva diretamente ao destino.
Mais informações: www.analandia.sp.gov.br

AMPARO – SP

Conheça o Município Turístico de Amparo

Amparo localiza-se na região de Bragança Paulista, na Serra da Mantiqueira e tem atividades turísticas por todos os lados. Possui paisagem bucólica com diversas opções para o turismo ecológico, seu núcleo central foi tombado pelo Condephaat e conta com prédios históricos como o Hospital da Beneficência Portuguesa, uma construção de 1892. Além disso, dispõe de diversas fontes de águas medicinais que chegam a brotar das rochas. Com uma população estimada pelo IBGE/2020 de 72.677 pessoas, esta cidade está distante 127 km da Capital.

Vale a pena contar esta história: a atrativa Amparo tornou-se em 1945 a primeira cidade do Circuito das Águas Paulista a ser considerada estância hidromineral e sabe-se que hoje as 70 estâncias do Estado de São Paulo são todas turísticas, não havendo mais divisões e nem classificações.  Suas águas são indicadas no tratamento de asma, bronquite e diabetes, entre outras. Ela é uma das seis cidades deste Circuito ao lado de Águas de Lindóia, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Serra Negra e Socorro, destinos que atraem milhares de turistas anualmente.

O Cristo Redentor, inaugurado em 1966, somente perdia em altura para o do Rio de Janeiro e mede 12m de altura

Um dos orgulhos de Amparo é o seu centro histórico que retrata a época áurea do século XIX onde a cafeicultura era predominante. E hoje se pode observar os casarões antigos localizados no centro e prédios históricos tais como: a Catedral Nossa Senhora do Amparo, a Igreja São Benedito e  a Igreja Nossa Senhora do Rosário. Além desses conjuntos arquitetônicos, merece destaque a Estação Ferroviária de Amparo, inaugurada em 1875, e que faz parte do ramal da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, que prolongou a ligação de Jaguariúna até Monte Alegre para o escoamento da produção cafeeira. Hoje está totalmente remodelada e com muitas atividades culturais.

Tem mais: o Parque Linear “Águas do Camanducaia” é um dos programas para se fazer na cidade. São mais de 3.100 metros de extensão e conta com ciclovia, jardins, áreas para prática de esporte e até uma fonte que pode ser usada para banho. As fazendas de Amparo são um atrativo à parte. Sedes de famílias do Ciclo do Café que ajudaram a expandir toda a malha ferroviária paulista até os anos 1930, e há até fazendas vencedoras de vários prêmios na produção de doces, vinhos e cachaças. Outro equipamento rico em acervo histórico é o Museu Bernardino de Campos, com 18.000 objetos e um mobiliário do século XIX, um dos mais completos do interior paulista, atraindo turistas e pesquisadores do Brasil e do exterior.

A Pinacoteca de Amparo, com acervo de 400 obras, funciona no prédio da antiga Estação Ferroviária 

Revela a história local que o povoado que deu origem a Amparo formou-se no final do século 18, quando agricultores em busca de terras férteis começaram a se estabelecer na região leste do Estado, oriundos de Bragança, Atibaia e Nazaré. Já nos primeiros anos foi fundada uma pequena capela em homenagem de Nossa Senhora do Amparo. Em 1829, o povoado é elevado à capela curada, em 1857 a vila e em 1865 a cidade. Para se chegar até Amparo, pode-se ir pela via SP-348 “Bandeirantes” até Jundiaí que são 58 km e, em seguida, ir pela rodovia SP-360 Eng. “Constâncio Cintra” sentido Itatiba / Morungaba.

ALTINÓPOLIS – SP

Conheça o Município Turístico de Altinópolis

Altinópolis, um município da Região Metropolitana de Ribeirão Preto, com uma altitude média de 950 metros, proporciona de quase todos os lugares da cidade uma vista panorâmica das serras que a rodeiam. Distante 346 km da Capital é conhecida pelas suas atrações turísticas, como as esculturas de Bassano Vaccarini e inúmeras cachoeiras. Com uma população estimada de 16.203 pessoas, pelo IBGE/2020, tem o privilégio de possuir um agradável clima serrano, além de oferecer o sossego e a tranquilidade do interior. Altinópolis também agrada e oferece condições aos praticantes dos esportes de aventura, como o rapel e o trekking.

Vale destacar que este município possui um dos poucos museus a céu aberto de todo o mundo, com belas esculturas do mestre Bassano Vaccarini (1914 – 2002). Trata-se da Praça das Esculturas que reúne grande parte das obras do artista que nasceu em San Columbrano al Sambro, na Itália e chegou ao Brasil após a Segunda Guerra Mundial, em 1946, capitaneando uma comitiva de artistas plásticos italianos para uma exposição e escolhendo Altinópolis como seu grande atelier. Além de professor de Artes Plásticas da FAU-USP (em São Paulo) e da Unaerp (em Ribeirão Preto, onde morou), Vaccarini foi figurinista, cenógrafo, diretor do Teatro Brasileiro de Comédia, pintor e escultor notável.

Os turistas que gostam de museus e de conhecer a história e a cultura locais podem visitar o Museu e Casa da Cultura para saber mais sobre a vida deste artista plástico italiano. Situado em um imponente prédio no centro da cidade, o visitante conhecerá o acervo do artista, formado por esculturas em raízes, bronze, pinturas e desenhos. Outros lugares com a marca do Vaccarini são o Painel San Martinho e o Jardim das Esculturas, com 42 obras do artista. Durante a noite, uma boa caminhada é pelo centro histórico de Altinópolis, passeando pelo Parque da Lagoa, pela Praça da Conversa e pela Praça do Trabalhador.

Com uma vasta área verde, este destino possui atraentes paisagens e ótimas opções para o ecoturismo em seus diversos rios, cachoeiras, e corredeiras. Além dos cenários naturais, a gastronomia completa a cultura local, com uma excelente comida típica caipira feita no fogão à lenha. No calor, a dica é tomar banho de água doce e gelada na Cachoeira do Itambé. A atração está localizada numa reserva florestal e conta com 60 metros de queda d’água – ideal para rapel. Outro destaque na cachoeira são as trilhas para conhecer a região e áreas para piqueniques. Visita obrigatória: o Morro da Mesa que é perfeito para assistir ao pôr do sol que fica a 40 km do centro da cidade, entre a divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais, com vista panorâmica para a região.


O trabalho do artista plástico italiano Bassano Vaccarini também está no Jardim das Esculturas com 42 obras

Em relação à história deste MIT, o povoamento do local se iniciou no séc. XIX e com a construção da antiga Estrada de Ferro, o crescimento da cidade alavancou. Com a chegada de imigrantes italianos, portugueses, sírios e libaneses, além da plantação de café e a pecuária, começaram a surgir as primeiras ideias da independência do Distrito em relação à cidade de Batatais. E em dezembro de 1918, foi elevada à categoria de município, onde foi vencedor, por plesbicito, o nome de Altinópolis, em homenagem ao presidente do Estado de São Paulo, Dr. Altino Arantes. No dia nove de março de 1919 foi instalada a primeira Câmara Municipal simbolizando, esta data, a fundação da cidade. Finalmente, em 25 de abril de 1965, instalou-se a comarca de Altinópolis, sinalizando completa independência e autonomia do município.Como chegar

Para ir até Altinópolis, saindo da Capital, é preciso acessar a SP 330 (Rodovia Anhanguera), até saída 318 A e seguir pela SP 334 (Rodovia Cândido Portinari) até a saída 348.

ILHA DO MEL – PARANAGUÁ/PR

Situada no litoral do estado do Paraná, a cidade de Paranaguá oferece vários atrativos com valor histórico e cultural. Em seus casarões antigos com fachadas de azulejos e ladeiras de pedras, é possível apreciar as marcas da colonização portuguesa, e seu centro histórico é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). No centro, você pode visitar o Antigo Colégio dos Jesuítas, a antiga Rua da Praia (com edificações em estilo neoclássico) e a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário (Paranaguá ao redor da igreja, que é marco central da cidade). Ali também está o Mercado Municipal do Café, que abriga um centro gastronômico com diversas opções de pratos à base de frutos do mar e quitutes como pastéis de vários sabores. As manifestações gastronômicas e culturais deixam os visitantes deslumbrados. Um exemplo da rica gastronomia local é o barreado (prato típico do Paraná à base de carne cozida). Outras atrações da cidade são o Mercado de Artesanato, com itens produzidos em cipó e outros materiais, e o Fandango Caiçara, expressão musical, poética e coreográfica classificada como patrimônio cultural imaterial pelo Iphan. Paranaguá também oferece belos atrativos naturais, como a Baía de Paranaguá, reconhecida pela Unesco como patrimônio natural. O destino abriga ainda grandes áreas de manguezais e diversas ilhas, sendo a principal a Ilha do Mel, com praias sensacionais. Um dos atrativos da Ilha é a Gruta das Encantadas, cujo nome vem da lenda que diz que o local era habitado por sereias.

 

FONTE: GOVERNO PR