Rota de queijo e azeite reforça gastronomia como atrativo turístico em Minas Gerais

Imagine uma rota que leve o turista à fazenda que produz o melhor azeite do hemisfério sul e, também, à queijaria onde é feito um dos melhores queijos do mundo. Pois esse roteiro existe e fica no Brasil. A cidade de Alagoa (MG) oferece, há quatro anos, a Rota do Queijo e do Azeite, um dos vários destinos que existem pelo país e atraem cada vez mais o olhar dos turistas.

 

O turismo gastronômico, por sinal, é um dos principais atrativos para os visitantes estrangeiros que vão conhecer Minas Gerais. De acordo com a Demanda Turística Internacional, estudo realizado pelo Ministério do Turismo, 97,3% dos turistas internacionais aprovaram a gastronomia no estado mineiro em 2018.

 

 

A Rota do Queijo e do Azeite inclui visita aos olivais da Fazenda Cauré, onde é produzido o “Melhor Azeite do Hemisfério Sul”, de acordo com prêmio recebido na Expo Oliva, na Espanha, em maio de 2019. O roteiro também leva os turistas para conhecer a Fazenda 2M que coleciona conquistas: medalha de ouro no Mundial do Queijo no Brasil 2019; medalha de prata 2019 no Mondial du Fromage na França; e Super Ouro no 3º Prêmio Queijos Brasil, como o melhor queijo artesanal de leite cru do Brasil.

 

Vocação

 

O Estado de Minas Gerais possui grande tradição em rotas turísticas que envolvem gastronomia.  Em 2018, um projeto do estado foi um dos vencedores do 1º Prêmio Nacional do Turismo, organizado em 2018 pelo MTur e o Conselho Nacional de Turismo. A Rota do Queijo Terroir Vertentes, que trabalha o desenvolvimento dos 23 municípios integrantes do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes e Terroir Vertentes, levou o segundo lugar na categoria Turismo de Base Comunitária e Produção Associada ao Turismo.

 

A iniciativa premiada estimula a oferta de roteiros gastronômicos envolvendo pequenos produtores de queijo minas artesanal, de queijos finos e de queijo Reino, além de fomentar e valorizar a fabricação dos produtos em cidades do circuito. Além disso, o modo artesanal de fazer queijo de minas nas regiões do Serro e das Serras da Canastra e do Salitre recebeu o título de Patrimônio Imaterial do Brasil (IPHAN).

 

Neste ano, a capital mineira Belo Horizonte concorre ao selo de Cidade Criativa da Gastronomia da Unesco. Para o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a gastronomia é um diferencial competitivo que promove os destinos e desenvolve a economia regional. “Queremos consolidar o turismo gastronômico, valorizando a culinária nacional como atrativo turístico mundial, a exemplo de países vizinhos como Peru e Colômbia. Esse turismo não só diversifica e aumenta a nossa oferta, mas impacta na atividade econômica dos municípios e do país, gerando inclusão social, emprego e renda para nossos brasileiros”, ressalta o ministro.

 

Fonte: Mtur

Estado de Alagoas vai receber voos extras na alta temporada, anuncia companhia aérea Gol

O trabalho para expansão da malha aérea alagoana continua gerando bons resultados. Dessa vez, a companhia aérea Gol que anunciou novos voos extras para a alta temporada em Alagoas,  partindo de Maceió para Brasília, São Paulo (Congonhas), Campinas e Rio de Janeiro (RIOgaleão). Além dos voos extras, entraram em operação as três novas frequências da rota Guarulhos (SP) Maceió (AL), anunciadas para o mês de agosto.

 

“Estamos sempre atentos a oportunidades que ofereçam mais opções aos nossos clientes, tanto de destinos, quanto de horários, e, ao mesmo, tempo que proporcionem a melhor experiência de viagem a bordo das nossas aeronaves. Expansões como essas, que a companhia vem fazendo com bastante frequência, são de grande importância para o desenvolvimento do setor aéreo brasileiro, além de estimular o crescimento do turismo local”, afirmou Renzo Mello, diretor de canais de vendas da Gol.

 

Todas as novas operações anunciadas pela companhia já estão com os bilhetes à venda. À frente da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur), Rafael Brito ressalta que o estado tem se destacado no cenário nacional com incentivos fiscais que fortalecem a malha aérea do Estado.

 

“Recebemos cada novo voo como uma conquista, fruto de um trabalho de articulação e parceria entre o Governo do Estado e as companhias aéreas. A partir disso, somos um dos primeiros estados do país a recuperar a malha aérea depois da crise, reduzindo o QAV (querosene de aviação) e, em contrapartida ao benefício, ganhando novas operações para o destino”, explicou.

 

Ainda segundo o secretário Rafael Brito, o novo momento vivido por Alagoas, com uma economia estável e com crescimento na geração de empregos, também contribui para a boa relação comercial com estas grandes empresas. “Alagoas vive uma nova realidade, diferente de muitos estados brasileiros que ainda sofrem com a crise. Com isso, conquistamos a confiança dessas grandes empresas, que investem no turismo do nosso estado. Hoje, somos líder de vendas nas principais operadoras, temos um destino seguro, com produtos consolidados no mercado e uma rede hoteleira moderna e diversificada de Norte a Sul do Estado, além de investir pesado em promoção e qualificação dos nossos produtos turísticos. Isso nos diferencia da concorrência e nos coloca no topo do turismo no país”, ressalta.

 

Fonte: Agência Alagoas

Brasília ganha novos voos internacionais; serão voos diretos para Santiago, Assunção e Lima

A partir do último trimestre de 2019, os turistas do Chile, Peru e Paraguai terão voos diretos para conhecer as atrações turísticas de Brasília (DF). A novidade foi anunciada pelo governo local ontem (21/08), na capital federal, e terá a intenção de idealizar uma maior conectividade no aeroporto da cidade, que se localiza no coração do Brasil e em posição geográfica estratégica para os sul-americanos.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou a notícia e pontuou os benefícios que medidas como essa trazem para o turismo brasileiro. “Vejo nisso a oportunidade da entrada de mais estrangeiros no país, resultado que conversa com a nossa meta do Plano Nacional do Turismo, que é dobrar o número que hoje é de 6,6 milhões. Além disso, a chegada de novos voos dos nossos vizinhos, vem ao encontro do estreitamento com as rotas do Mercosul, proposto na última reunião com os ministros do Turismo do bloco”, finalizou.

 

Santiago, no Chile, será o destino do primeiro voo realizado dessas três rotas, no dia 15 de outubro. Já para a capital do Peru, o trajeto começará a partir do dia 14 de novembro. Por último, no dia 15 de dezembro, os turistas poderão voar do Aeroporto Internacional Presidente Juscelino Kubitschek para Assunção, no Paraguai.

 

A atração de novas rotas e empresas aéreas para o país é uma das vertentes que o Ministério do Turismo vem trabalhando nesses quase oito meses da atual gestão. Neste período, a Pasta conseguiu trazer a empresa Air Europe para atuar em voos domésticos comerciais, integrando o rol de empresas que já atuam no país. Outra companhia aérea, a Gulf Air, também já demonstrou interesse em seguir o mesmo caminho. Além disso, em julho deste ano, a argentina Flybondi conseguiu autorização para operar voos internacionais para duas capitais brasileiras: Rio de Janeiro (RJ) e Florianópolis (SC).

 

Recentemente, um levantamento realizado pelo Kayak apontou que, após o anúncio da entrada da Flybondi no Brasil, o aumento na procura, por argentinos, nas passagens aéreas para as duas cidades brasileiras aumentou em até 63%.

 

Fonte: Mtur

Sindepat Summit movimenta mercado de parques e atrações turísticas

A capital federal sedia nesta quarta e quinta-feira (21 e 22.08) o 2º Sindepat Summit, evento que reúne a indústria de parques e atrações turísticas do Brasil. Realizado pelo Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), o encontro oferece palestras sobre inovação, sustentabilidade, segurança, além de debates sobre as principais tendências e desafios do setor.  Os participantes também conferem a apresentação de produtos, serviços e novas tecnologias para parques temáticos, aquáticos e atrações brasileiras.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destacou que o fortalecimento dos parques no Brasil vai ao encontro dos objetivos da medida provisória que está em elaboração e vai trazer avanços para o turismo no Brasil. “A MP vai possibilitar avanços com o turismo no Brasil. Acredito que o ecoturismo vai subir muito, já tem subido muito, no conceito da área econômica. Vamos possibilitar o fomento do setor para a geração de emprego e renda”, disse.

 

Álvaro Antônio pontuou ainda que a abertura de novas unidades, bem como a revitalização e a expansão dos parques em operação fará com que o setor ganhe novo fôlego, dinamizando a oferta turística dos destinos brasileiros. “Nossos parques já figuram como um dos principais destinos latino-americanos. Eles são âncoras econômicas nos locais onde estão instalados, induzindo o desenvolvimento e gerando empregos e renda para a população”, complementou o ministro.

 

De acordo com levantamento do Sindepat, o setor de parques e atrações turísticas fatura mais de R$ 3 bilhões por ano no país com empreendimentos que recebem 30 milhões de visitantes e geram 100 mil empregos diretos e indiretos. Relatório da Theme Index 2018, elaborado pela TEA/AECOM – Themed Entertainment Association, apontou que seis parques brasileiros estão entre os 10 mais visitados na América Latina. Juntos, eles receberam, no ano passado, cerca de 5,8 milhões de pessoas, número 3,5% maior que o registrado em 2017.

 

Dentre as ações já conquistadas para o segmento está a autorização, em dezembro de 2018, da importação de equipamentos para parques temáticos sem similares nacionais com tarifa zero em compras realizadas até o final de 2020. O MTur, juntamente com o setor, tem trabalhado para manter a tarifa zero para a importação de brinquedos, montanhas russas, teleféricos, jogos, carrosséis e outros equipamentos sem similar nacional. Estudo do Sindepat estima investimentos de R$ 1,9 bilhão e geração de 56 mil postos de trabalho nos próximos cinco anos com a isenção permanente.

 

Fonte: Mtur

Movimento em museus brasileiros aumenta 31% no primeiro semestre, diz levantamento do Ibram

O primeiro semestre de 2019 deixou boas notícias para os museus brasileiros. De janeiro a junho, as visitas cresceram 31% em relação ao mesmo período de 2018. Se os dados considerarem apenas os quatro mais visitados nos últimos dois anos – Museu da Inconfidência (MG), Museu da República (RJ), Museu Imperial (RJ) e Museu Nacional de Belas Artes (RJ), o índice atinge 43,5% de aumento. Em 2018, as visitas chegaram a 313.734 pessoas nessas instituições. Neste ano, o número bateu 450.209.

 

Os dados fazem parte de levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) que levou em consideração os museus vinculados à autarquia do Ministério da Cidadania. Criado em janeiro de 2009, o órgão é responsável pela Política Nacional de Museus (PNM) e realiza a administração direta de 30 museus no Brasil.

 

O Museu Imperial, em Petrópolis (RJ), foi o que mais recebeu público no primeiro semestre dos últimos anos. Em 2018, foram 159.043 e, em 2019, 183.661. Já o Museu da República, que fica na capital fluminense, registrou o maior crescimento: saltou de 58.800 visitas de janeiro a junho de 2018 para 105.923 no mesmo período deste ano. O Museu da Inconfidência, de Ouro Preto (MG), teve público de 96.709 em 2019, ante 64.897 no ano passado. Da lista dos quatro mais visitados, o Museu Nacional de Belas Artes, também na cidade do Rio de Janeiro, passou de 30.994 para 63.916 visitantes.

 

Apoio

 

As medidas para melhorar o turismo cultural no Brasil também recebem atenção do Ministério do Turismo. Desde sua criação, em 2003, o MTur destinou recursos em projetos estruturantes para vários museus espalhados pelo território brasileiro. Ao todo, foram 653 projetos de museus e centros culturais em todas as regiões do Brasil, com valor de repasse de R$ 313 milhões.

Em visita ao Jalapão, no Tocantins, ministro defende trabalho para potencializar turismo

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, visitou na sexta-feira (16) o Parque Estadual do Jalapão, no Tocantins, e conheceu de perto alguns de seus principais atrativos, como as dunas de areias douradas e os rios de águas cristalinas, com cachoeiras, praias de areia límpida e poços de banho com flutuação, chamadas na região como “fervedouros”. As belezas naturais da região atraem cerca de 30 mil turistas por ano – uma grande parte formada por estrangeiros.

 

 

“Temos tudo para fazer do Jalapão um dos principais pontos de atração para turistas no Brasil, mas também para os povos de longa distância, como australianos, japoneses e chineses, que gostam muito dessa vertente de ecoturismo e turismo de aventura”, disse o ministro, após uma visita de quase oito horas pela região. Ele é o primeiro titular da Pasta do Turismo a visitar o destino.

 

Para que a região possa receber mais turistas e ampliar a frequência de turistas, a reivindicação mais ouvida pelo ministro foi a de pavimentação das rodovias que ligam a capital do Estado, Palmas, à região. São cerca de 180 quilômetros percorridos em estradas de terra – algumas com problemas como irregularidades no nivelamento, desvios, alagamentos e buracos – que transformam a viagem numa aventura à parte, que pode levar a quase um dia de deslocamento.

 

“Estou recebendo com muita responsabilidade esses pedidos. Não vou fazer promessas, mas sim trabalhar para trazer infraestrutura para a região, num conjunto de esforços do Governo Federal junto com o Governo do Estado e com as prefeituras da região”, disse Marcelo. A visita foi organizada e acompanhada pelo governador do Tocantins, Mauro Carlesse (DEM).

 

O Jalapão ocupa uma área de 34 mil km². Os municípios de Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins e São Félix do Tocantins compõem a região, que é uma unidade de conservação ambiental do Tocantins.

 

Belezas visitadas

 

O primeiro ponto de visita no Jalapão foi a Cachoeira da Velha, no rio Novo, um local apropriado para a prática do rafting (canoas adaptadas para descer corredeiras). A sequência de quedas em formato de ferradura e o volume das águas fazem o local um atrativo para os apaixonados por aventuras. A área também tem praias de areia muito brancas. O ministro do Turismo encontrou no local um grupo de turistas italianos e outro de paulistas, com quem conversou e deles obteve a mesma observação: o local merece melhor acesso.

 

Logo depois, a visita foi à cachoeira do Formiga, que leva o nome do rio que a abastece. Embora seja uma queda d’água pequena, impressiona o tom esverdeado de esmeralda das águas transparentes, que têm uma temperatura morna. O local é dentro de uma vereda, bastante fechada, que destoa da paisagem de cerrado aberto que ocupa o parque.

 

Considerado o maior atrativo turístico do Jalapão, as dunas de areias com tons que variam entre o vermelho e o dourado foram a terceira parada da comitiva. O ministro subiu numa delas com cerca de 30 metros de altitude, de onde pode ser contemplado a Serra do Espírito Santo. Nessa serra, cuja altitude pode alcançar 400 metros, turistas acordam de madrugada para contemplar o nascer do sol ou sobem seus paredões íngremes para acompanhar o pôr-do-sol, no lado oposto. “Estou maravilhado com tantas belezas naturais”, afirmou o ministro. Para ele, esse ativo natural precisa ser explorado pelo setor de turismo, mas dentro de regras que preservem o meio ambiente. “Não se discute a hipótese de degradação deste local”, disse Marcelo.

 

Artesanato

 

A visita contou ainda com uma parada na comunidade quilombola Mumbuca, que na verdade é uma espécie de grande família, cuja matriarca desenvolveu a arte de tecer o capim dourado, que é endêmico na região e só é colhido uma vez por ano. Embora o artesanato de capim dourado já tenha atravessado fronteiras e seja uma das marcas registradas do Jalapão, ele vem sofrendo ação predatória. Invasores colhem o material antes de ele estar maduro.

 

comunidade quilombola jalapão.jpg

 

Os quilombolas apresentaram ao ministro e ao governador uma lista de reivindicações, que vai de posto de saúde a melhoria nas estradas de acesso, passando por regularização fundiária de terrenos do local. Para o ministro, a ideia de se pavimentar a estrada que liga a capital Palmas a esses municípios da região vai trazer benefícios diretos aos artesãos.

 

“Uma das preocupações do governo Bolsonaro é justamente buscar melhorias que façam a diferença para a população mais humilde, as mais carentes. Se temos condições de promover mudanças que favorecem a esse importante grupo de artesãos, iremos fazê-las”, afirmou. Marcelo ganhou de presente um jarro feito com o capim dourado, ornado de gramíneas naturais.

 

Fonte: Mtur

Curso do BBA supera marca de 10 mil alunos, segundo informações do Ministério do Turismo

Apenas um mês após a reabertura de inscrições para o curso de atendimento a turistas oferecido pelo Canal Brasil Braços Abertos (BBA), plataforma online totalmente gratuita do Ministério do Turismo, 10.276 alunos já participam da capacitação. O resultado é fruto de uma grande mobilização feita pelo órgão, que trabalha para conscientizar o trade turístico quanto a importância da qualificação profissional e a necessidade de se promovê-la. O cadastro de alunos no sistema pode ser feito pelo site bba.turismo.gov.br.

 

A Região Sudeste lidera em adesões (50,99%), seguida do Nordeste (19,09%), do Sul (16,97%), do Centro-Oeste (6,97%) e do Norte (5,19%). O maior número de alunos é de São Paulo (2.634). Na sequência, Rio de Janeiro (1.442), Minas Gerais (920), Rio Grande do Sul (676) e Santa Catarina (623). Residentes em outros países somam 81 inscritos, com destaque para Argentina (34), Venezuela (6), Portugal, Chile e Uruguai (4).

 

A qualificação, aberta a pessoas com mais de 15 anos, se destina a trabalhadores que já atuam ou pretendem operar no setor. O curso é realizado a partir de equipamentos conectados à internet, como computadores, tablets e smartphones, e gestores públicos e privados interessados em apoiar o acompanhamento das aulas têm a chance de firmar um termo de compromisso, disponível no canal eletrônico do BBA.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, incentiva parcerias neste sentido. “A crescente ascensão do turismo no país, a partir de várias medidas adotadas pelo governo Bolsonaro, se traduz em mais movimento nos destinos nacionais, e isso exige permanente qualificação. É fundamental que os gestores compreendam a necessidade de melhorias, para que o turismo se desenvolva de forma sustentável”, conclama.

 

Um exemplo de suporte vem de Boa Vista (RR). A Fundação de Educação, Turismo, Esporte e Cultura da capital promove a oferta e monitora a participação, como conta a técnica Maria Francisca Castro: “visitamos toda a rede de turismo e fizemos inscrições, esclarecendo dúvidas para que não deixem o curso. E a Prefeitura disponibilizou computador com internet nos nossos dois CATs, para as pessoas com dificuldades fazerem o curso”.

 

Já em São Francisco do Sul (SC), a divulgação feita pela Associação dos Quiosques e Vendedores Ambulantes dos Balneários da cidade chamou a atenção. Segundo Crisânia Dantas, integrante da entidade, o trabalho envolveu redes sociais e até a distribuição de informativos. “Usamos Facebook e WhatsApp, e os associados compartilharam. Também distribuímos cartazes na praia, o que aumentou a procura por informações”, relata.

 

Sobre o BBA

 

O prazo de inscrições termina em 31 de dezembro deste ano, e o interessado deve encerrar o curso até 30 de março de 2020. A capacitação, com um total de 80 horas-aula, se divide em quatro módulos: Introdução, Atendimento, Comunicação e Temas Transversais. O curso utiliza linguagem simples e engloba conteúdos a exemplo de noções de inglês, ética e marketing, transmitidos por meio de jogos e vídeos.

 

A conclusão exige que o inscrito some um total de 696 pontos. Ao final, o próprio aluno pode emitir certificado, chancelado pelo MTur e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), e que é válido como curso de extensão. O BBA também oferece atendimento ao público, por meio do endereço eletrônico pea@turismo.gov.br ou o telefone gratuito 0800 200 8484.

 

Fonte: Mtur

Em Santa Catarina, Embratur reforça importância do Turismo para o Estado

Reunindo grandes lideranças do trade nacional, a abertura do Investe Turismo, em Santa Catarina, discutiu medidas que podem melhorar a infraestrutura e a experiência dos turistas nacionais e internacionais no estado. O Investe Turismo, que é um programa em parceria da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Ministério do Turismo, Sebrae e Santur (Secretaria de Estado de Turismo de Santa Catarina), também foi pauta do encontro que marcou a abertura do Encatho & Exprotel, importante evento de hotelaria da região sul do Brasil.

 

No evento, entre outras autoridades, estiveram presentes o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, a vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Manoel Linhares.

 

Na ocasião, o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto ressaltou que “em Santa Catarina há uma rica gastronomia, o frio e as praias, a cultura germânica, a italiana, a açoriana, a serra e o mar, o ecoturismo, o mergulho contemplativo, inúmeros atrativos para os turistas”. O presidente da Embratur reforçou ainda importância do Investe Turismo para desenvolver ainda mais o setor no estado: “São 30 rotas no Brasil. 200 milhões de reais investidos a fim de estruturar e promover o turismo no país. E Santa Catarina entra neste importante programa, porque, realmente, é um estado incrível no Brasil e mais turistas de todo o mundo precisam conhecer”.

 

Marcelo Álvaro Antonio destacou os números positivos do turismo, divulgados este mês pelo IBGE, como o índice de atividades turísticas no Brasil em junho de 2019, que cresceu 2,6% em relação ao mesmo período do ano passado. “As notícias são boas. O turismo realmente chegou no momento que está tendo contribuição efetiva com a economia do país, gerando emprego e renda para a população”, comemorou.

 

A vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr, reforçou ainda a importância da atuação e do know-how da Embratur, além da vocação do estado catarinense para o turismo, que “tem movimento no verão ou no inverno. E é isso que queremos. E o apoio do Governo Federal é fundamental para desenvolvermos ainda mais o turismo do Estado”.

 

Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis, falou também que o Brasil passa por um novo momento: “é uma época de integração, de unirmos o Brasil, como fazemos hoje aqui em Floripa” e completou também reforçando o pedido do trade, para que a Embratur continue com seu trabalho de promoção internacional dos destinos catarinenses, e também da capital, Florianópolis.

 

Santa Catarina é um dos estados que mais recebem turistas estrangeiros, e 4 dos 10 destinos mais procurados por turistas internacionais estão aqui no Estado: Florianópolis, Bombinhas, Balneário Camboriú e Itapema.

 

Em Santa Catarina, o Investe Turismo selecionou a rota “Serra-Mar Catarinense” que inclui Florianópolis, Lajes, São Joaquim, Urubici, Palhoça, Garopaba, Imbituba, Laguna, Balneário Camburiú, Bombinhas, Penha, Porto Belo, Blumenau, Brusque, Itajá, Timbó, Pomerode, São Francisco do Sul e Joinville.

 

Fonte: Embratur

Atividade turística cresce em 2,6% em junho, aponta IBGE; maiores altas foram no Nordeste

Dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), reafirmaram o otimismo com o turismo e apontaram aumento do volume de atividades turísticas no Brasil. O índice de junho de 2019 cresceu 2,6% em relação ao mesmo período do ano passado, influenciado pelas empresas de hotéis, de locação de automóveis e de restaurantes. Três estados da região Nordeste registraram as maiores altas: Ceará (10,9%), Bahia (6,9%) e Pernambuco (6,5%). Minas Gerais também registrou crescimento expressivo: 5,2% em relação a junho do ano passado.

 

Com relação ao semestre, as atividades turísticas no país registraram um aumento ainda maior: 3,1% em relação aos primeiros seis meses de 2018. As atividades que mais impulsionaram o setor foram, novamente, os hotéis, locação de automóveis, além dos serviços de catering, bufê e outros serviços de comida preparada. O Ceará foi a unidade federativa que teve o melhor desempenho: aumento de 9,9%.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou os números positivos do turismo divulgados pelo IBGE e refirmou a relevância do setor para alavancar a economia brasileira.  “As notícias são boas. O turismo realmente chegou no momento que está tendo contribuição efetiva com a economia do país, gerando emprego e renda para a população”, afirmou.

 

Destinos brasileiros

 

Outros números divulgados nesta semana também ratificaram o atual otimismo com o setor turístico. De acordo com levantamento realizado pela agência de viagens online Expedia, entre janeiro e junho, a procura de turistas nacionais e internacionais por destinos brasileiros cresceu 30%, sendo o mercado doméstico o que mais demandou viagens dentro do país, correspondendo a 77% da busca no período. Os outros 23% foram preenchidos principalmente por visitantes oriundos de países como Estados Unidos, Argentina, Chile, Reino Unido e México.

 

Fonte: Agência Brasil