Natal dos Folguedos em Maceió: Fundação de Cultura lançará edital de seleção das atrações

O Natal dos Folguedos tem se consolidado como um dos principais eventos da agenda cultural de Maceió. Neste ano, a festividade acontecerá de 23 de novembro a 22 de dezembro na orla da Pajuçara, reunindo música, cultura popular, gastronomia, artesanato e uma iluminação temática que encanta maceioenses e turistas.

 

Com o intuito de democratizar a participação de artistas e grupos culturais na edição deste ano do evento, a Fundação Municipal de Ação Cultural (FMAC) já está organizando o lançamento de um edital de credenciamento destinado à seleção das atrações do Natal dos Folguedos.

 

De acordo com o diretor de Projetos e Convênios da Fundação, Igor Luz, o edital de credenciamento, que irá selecionar grupos da cultura popular, corais e bandas locais, será lançado nos próximos dias.

 

“Estamos antecipando a divulgação do edital para que os interessados possam se organizar com antecedência para o processo de credenciamento. Inclusive, em virtude do curto intervalo de tempo até o início do Natal dos Folguedos, não haverá prorrogação e, por isso, as inscrições devem acontecer o mais rápido possível”, afirmou o diretor.

 

Natal dos Folguedos já é tradição em Maceió e atrai grande público. Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

 

Os interessados em participar do processo de credenciamento deverão apresentar suas propostas na sede da FMAC, que fica localizada na Avenida da Paz, nº 900, Jaraguá, a partir da publicação do edital no Diário Oficial do Município (DOM). O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

 

Preços de passagens aéreas caem até 23% com low costs operando, segundo levantamentos

O reflexo da chegada das empresas de baixo custo ao Brasil já gera resultados para o turismo no país. De acordo com o KAYAK, ferramenta de planejamento de viagens, houve queda de até 23% nos preços médios de passagens nas rotas que também passaram a ser operadas pelas low costs. Foram pesquisados voos da chilena Sky Airline e da norueguesa Norwegian Air nas rotas Rio de Janeiro – Londres (Inglaterra), São Paulo – Santiago (Chile) e Rio de Janeiro – Santiago.

 

O levantamento do KAYAK aponta que o preço médio da passagem entre Rio de Janeiro e Londres passou de R$5.990 para R$ 4.611 após a chegada da Norwegian Air, uma redução de 23%. Já o trecho entre os aeroportos do Rio de Janeiro e de Santiago registrou queda de 17%, com o preço médio passando de R$ 1.772 para R$ 1.454 após a chegada da low cost Sky Airline. Já na rota São Paulo – Santiago os preços passaram de R$ 2.245 para R$ 1.859 (redução de 17%).

 

O Brasil já tem quatro empresas aéreas de baixo custo autorizadas a operar voos regulares internacionais no país. A primeira delas, em novembro de 2018, foi a chilena Sky Airline. Logo depois, o país passou a contar com a europeia Norwegian Air, que teve autorização concedida pela Anac em agosto de 2018. Depois vieram Flybondi e Jetsmart.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destaca que a operação de novas empresas aéreas reforça o aumento da competitividade e desenvolve a conectividade aérea. “O estímulo à competitividade é uma das medidas para estimular a queda no preço das passagens. Países vizinhos, como Argentina, Colômbia e Chile, com cerca de um quarto da população do Brasil, têm mais que o dobro de empresas voando nos destinos domésticos. Estamos no caminho certo”, disse o ministro.

 

Para Eduardo Fleury, líder de Operações do KAYAK no Brasil, é importante que o viajante saiba que está pagando mais barato por um produto mais simples. Caso opte por contar com todos os serviços de bordo, o valor sobe. “Os preços podem ter diminuído tanto pela oferta de passagens baratas das low costs como por uma revisão de estratégia de companhias tradicionais, que podem estar baixando seus preços de base e oferecendo voos com menos serviços para continuarem competitivas”, analisou.

 

Fonte: MTur

Piscinas naturais de Japaratinga e Maragogi não foram afetadas por manchas de óleo

As piscinas naturais das praias de Maragogi e Japaratinga, no Litoral Norte de Alagoas, não apresentaram, até sexta-feira (18), incidências das manchas de óleo que atingem os estados da região Nordeste do país. É o que atesta o Instituto do Meio Ambiente (IMA/AL), por meio do Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA).

 

O GTA é formado por representantes dos órgãos estaduais – Instituto do Meio Ambiente (IMA) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh); federais – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); e Marinha- Capitania dos Portos.

 

De acordo com informações do Ibama, a grande mancha que foi avistada em imagens aéreas e divulgadas como presentes nas piscinas naturais estava, na verdade, em São José da Coroa Grande, em Pernambuco. Ainda segundo informações do órgão, a mesma fora arrastada para a região da praia e retirada de dentro do mar.

 

Sobrevoo na Costa dos Corais (Foto: Márcio Chagas)

 

Para a presidente executiva do Costa dos Corais Convention & Visitors Bureau, Ana Maria Carvalho, é importante que exista uma cautela na divulgação e consumo de informações, para que a atividade turística não seja prejudicada com o repasse de notícias falsas.

 

“Existe uma grande preocupação com as fake news que estão sendo espalhadas. Fizemos vários vídeos hoje, em Maragogi, para tranquilizar nosso turista e informar que nossas piscinas naturais seguem com a beleza de sempre e, o mais importante, aptas para banho. Nossa expectativa é que a situação seja normalizada o mais rápido possível”, afirma Ana Maria.

 

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) informou, por meio de nota, que ainda não considera haver impactos relevantes das machas de óleo no litoral nordestino no dia a dia da atividade turística em Alagoas.

 

Fonte: Agência Alagoas de Notícias

Ministério do Turismo investe em obras na Rota das Emoções; plano terá início no Maranhão

A conhecida Rota das Emoções, que engloba 14 cidades do Maranhão, Piauí e Ceará, é um dos destinos mais procurados pelos amantes do surf, windsurfe e kitesurf. Além disso, é destino certo para aquels que procuram calmaria e cenários paradisíacos. O roteiro, percorrido pela costa destes três estados nordestinos, inclui passagens por áreas de proteção ambiental, como o Parque Nacional de Jericoacoara, no litoral oeste cearense; o Delta do Parnaíba, entre Piauí e Maranhão, e o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Com uma mistura de cultura, belezas naturais e história, além da alta gastronomia, a Rota encanta turistas que procuram a região, uma das mais famosas do país.

 

Para estruturar o destino, o Ministério do Turismo preparou um Plano de Ação para o Desenvolvimento Turístico da Rota das Emoções. As ações previstas por este planejamento terão início no estado do Maranhão. A revitalização do Porto de Tutoia (MA) é uma das intervenções previstas na estratégia. O local é a principal porta de entrada para o delta do Rio Parnaíba e ponto estratégico da Rota, pois permite a ligação turística fluvial entre o Maranhão e o Piauí. Além da revitalização do porto, o Plano inclui medidas de fortalecimento do ecoturismo, preservação do meio ambiente e segurança turística.

 

Em setembro deste ano, técnicos do Ministério do Turismo estiveram em algumas localidades da Rota das Emoções para ouvir demandas, entender a realidade local e desenvolver um plano de ação para o desenvolvimento turístico. Foram quase três dias de reuniões com gestores estaduais, municipais e representantes do trade para colher informações que possibilitem gerar ações do governo federal a fim de desfazer gargalos e estimular o potencial turístico da rota.

 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destaca a importância de promoção e estruturação de roteiros turísticos para fomentar as vocações regionais. “Já começamos uma nova era no turismo brasileiro. Vamos visitar cada local, conhecer a realidade e as adversidades destas regiões, para que, junto com os governos municipais e estaduais e os empresários do setor, possamos desenvolver o potencial turístico das principais regiões do país, como a Rota das Emoções”, adiantou.

 

O servidor público Juracy Soares, turista apaixonado pelo destino, vê com entusiasmo o investimento da Pasta no local. Segundo ele, a ação trará turistas do mundo todo e movimentará a economia desses municípios. “Entendo que a iniciativa do Ministério do Turismo vai ajudar, também, atividades esportivas como é o caso do kitesurf, pois atrai muitos turistas de vários locais para o Nordeste”, apostou.

 

Para ele, o turismo vai ser um forte aliado para movimentar a economia na região. “Essa faixa do litoral brasileiro é detentora dos principais points para a prática do kitesurf no mundo. Os esportes náuticos na Rota das Emoções, especialmente o kitesurf, potencializam a geração de emprego e renda para a comunidade que habita essa região”, comenta Juracy.

 

Pelo documento, idealizado a partir de demandas de gestores estaduais, municipais e representantes da Rota das Emoções, o Ministério do Turismo também irá finalizar obras no aeroporto de Barreirinhas.  Além disso, viabilizará a construção, com custo estimado em R$ 8 milhões, de uma ponte com 180 metros de extensão para a Travessia do rio Preguiças. Sem a ponte, os turistas enfrentam longas filas para a travessia de barcos e balsas.

 

Investe Turismo

 

Os cinco municípios maranhenses da Rotas das Emoções e São Luís, que é um dos portais de entrada do roteiro, estão entre os 56 municípios do Nordeste que serão contemplados pelo programa Investe Turismo, desenvolvido conjuntamente pelo Ministério do Turismo, Sebrae e Embratur e que investirá cerca de R$ 200 milhões nas cidades selecionadas para o programa em todo o país. Para o Maranhão, estão destinados R$ 2,3 milhões.

 

A iniciativa vai levar um pacote de ações de investimentos, incentivos a novos negócios, acesso ao crédito, marketing, inovação e melhoria de serviços voltados para 26 regiões turísticas dos nove estados nordestinos. A meta é unir setor público e iniciativa privada para preparar e promover a competitividade de dez rotas turísticas estratégicas de toda a macrorregião.

 

Fonte: MTur

Com isenção de visto, número de estrangeiros aumenta 25% nos meses de junho a agosto

A isenção de vistos a países estratégicos, vigente há quase quatro meses, tem se mostrado um importante acerto do Ministério do Turismo. Dados preliminares apontam que a entrada de turistas americanos, canadenses e australianos no Brasil cresceu 25% comparado com o mesmo período de 2018. Destaque para os Estados Unidos, maior emissor dentre os contemplados pela isenção, que apresentaram um aumento de 25,79% no número, saltando de 56.668 para 71.281 visitantes. O Japão foi o único país que teve baixa no índice (-16%).

 

Cumprindo agenda na China, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comemorou os números e destacou que outros países podem entrar neste grupo estratégico. “Os dados mostram que estamos no caminho certo para transformar o setor no Brasil. Nosso intuito, com essa medida, é justamente esse, aumentar o fluxo destes visitantes que contribuem muito para nossa economia. Essa é uma abertura estratégica, que tem forte potencial de contribuir para a geração de divisas, emprego e renda por meio do turismo no nosso país”, celebrou.

 

Vigente desde 17 de junho de 2019, a facilitação de vistos é uma demanda histórica dos empresários do setor. No último ano, quando o Brasil adotou o visto eletrônico para facilitar a entrada de turistas dos mesmos quatro países, foi registrado um incremento de 15,73% na chegada de visitantes dessas nacionalidades. De acordo com o perfil de gastos e permanência desses viajantes, trata-se de um incremento de R$ 450 milhões na economia.

 

Dados divulgado em agosto já haviam mostrado os impactos positivos para a economia brasileira com a isenção de vistos. Em julho de 2019, US$ 598 milhões foram injetados na economia brasileira pelos turistas estrangeiros, contra US$ 417 milhões registrados no mesmo período do ano anterior, um aumento de 43,4%. Já em comparação com o mês de junho deste ano, o aumento foi ainda maior: 59,8%. Tirando o ano da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, esse foi o maior crescimento dos últimos 16 anos.

 

De acordo com a Organização Mundial de Turismo, medidas de facilitação de viagens podem gerar um aumento de até 25% no fluxo de viajantes entre os países. Outro dado técnico que embasou a decisão do governo brasileiro em isentar países estratégicos da exigência de visto foi um levantamento realizado durante a Olímpiada 2016. Para 82,2% dos turistas estrangeiros dos quatro países beneficiados com a medida, a isenção de vistos facilita o retorno ao país.

 

Fonte: MTur

Procura de brasileiros por cruzeiros no país tem aumento de 21% no primeiro semestre

Reforçando a importância do turismo como vertente da economia em 2019, a CLIA Brasil anunciou ontem (16/10) um significativo aumento no setor de cruzeiros marítimos. Estudo anual da entidade registrou 293 mil embarques de turistas brasileiros em navios na costa do país entre janeiro e junho deste ano, um aumento de 21% em relação ao mesmo período em 2018. Outro dado divulgado foi o de que 402 mil brasileiros embarcaram em cruzeiros dentro e fora do país no primeiro semestre de 2019, um aumento de 16,1% em comparação com os 346 mil do mesmo período em 2018.

 

No Brasil, a temporada 2019/2020 de cruzeiros receberá oito navios, um a mais do que a temporada passada, trazendo 531.121 leitos que serão divididos por 144 roteiros e 575 escalas. A temporada 2018/2019 foi responsável por um impacto econômico de R$ 2,083 bilhões na economia do país, gerando 31.992 postos de trabalho.

 

O ministro Marcelo Álvaro Antônio ressaltou a relevância da atividade para o turismo brasileiro e para a economia do país. “Temos trabalhado e adotado ações com o objetivo de desenvolver o setor de cruzeiros para, quem sabe, termos 50, 100 navios fazendo turismo na costa brasileira todos os anos”, disse.

 

A temporada de cruzeiros no Brasil vai de novembro a abril e a CLIA espera que a popularidade das viagens entre os brasileiros cresça ainda mais. “Para acompanhar esse rápido crescimento, o Brasil tomou medidas significativas para receber navios em novos portos, aumentando a capacidade e melhorando a experiência geral dos viajantes”.

 

Terminal de passageiros

 

O Brasil terá seu primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas. Em setembro, o Ministério da Infraestrutura assinou o contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs) que permite a construção do porto de Balneário Camboriú pela empresa PDBS. O porto de Balneário Camboriú é o primeiro passo de um projeto que pretende construir 15 instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil. A expectativa é de atrair mais empresas do setor de cruzeiros, mais navios para a costa brasileira e aumentar significativamente o número de turistas e o impacto econômico do setor.

 

Com a construção do primeiro terminal exclusivo de passageiros no porto de Balneário Camboriú, a estimativa é de que o impacto seja enorme no turismo marítimo brasileiro. De acordo com projeções, mais cinco navios seriam atraídos, colocando mais 300 mil turistas na costa brasileira, sendo 120 mil estrangeiros. Além disso, a expectativa é de criação de 1,5 mil empregos diretos e outros 10,5 mil indiretos. O impacto econômico seria de mais R$ 2 bilhões, um crescimento de 100% considerando os dados de 2018/2019.

 

Fonte: MTur

Campanha promocional da Embratur para atrair estrangeiros, Rei do Rolê é oficialmente lançado

Já está no ar a mais nova campanha promocional da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo): “The King of Rolê”, ou traduzindo, “O Rei do Rolê”. Direcionada exclusivamente para o público internacional, a ação será promovida nos moldes de um reality show para divulgar o Brasil como destino turístico para o mundo. O Instituto, responsável pela promoção do turismo no exterior, lançou a campanha na segunda-feira (14).

 

“Um concurso internacional na internet para escolher um estrangeiro disposto a passar 30 dias viajando pelo país, o que incluirá visita a destinos em todas as regiões e até um encontro com o presidente Jair Bolsonaro”, explica o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto. De acordo com ele, os estrangeiros deverão enviar vídeos, de até 1 minuto, explicando porque deveria ser escolhido para passar 30 dias conhecendo o Brasil de graça.

 

Segundo o diretor de Marketing e Relações Públicas da Embratur, Osvaldo Matos, o “Rei do Rolê” será acompanhado por uma equipe de vídeo composta por representantes da Embratur. “O turista será filmado desde o momento que sair de casa no país de origem. Todos os episódios serão divulgados em redes sociais e ficarão disponíveis no site criado exclusivamente para a promoção”, diz o diretor.

 

Para ser escolhido, o estrangeiro vai ter que cumprir uma série de exigências para mostrar que merece passar um mês no Brasil com tudo pago. Um dos quesitos avaliadosserão suas habilidades de comunicação em vídeo e em redes sociais. Para participar, o interessado deverá ser estrangeiro nato e gravar um vídeo com até 1 minuto com uma resposta para a pergunta: O que uma experiência de 30 dias no Brasil significaria para você? Após a gravação, deverá enviar o vídeo para o YouTube e registrar no site da campanha. O participante deverá compartilhar o vídeo da campanha em suas mídias sociais com a hashtag #30DaysInBrazilForFree, para confirmar sua participação, e pedir aos seus amigos que o ajudem para uma maior visibilidade. Os interessados terão até o dia 20 de novembro deste ano para inscrição.

 

Segundo o presidente da Embratur, a ação terá o apoio de companhia aéreas brasileiras e de entidades hoteleiras. O custo estimado da produção é de R$ 3 milhões. A proposta é que o turista esteja no Brasil durante o Carnaval do próximo ano e faça um tour pela festa no Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e São Paulo.

 

A promoção está sendo divulgada principalmente em países que tiveram os vistos liberados para entrada no Brasil: Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão. Na Europa, a ação atingirá Portugal, Espanha, Alemanha, Itália e França, além da Rússia. Além disso, o objetivo é atrair, também, visitantes do Cone Sul, como Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai.

 

De acordo com Osvaldo Matos, a ofensiva ocorre por mídia programática em sites e impulsionamento de publicações em redes sociais, além de estratégia de divulgação na imprensa.

 

Fonte:Embratur

Na China, ministro do Turismo destaca ações para atração de investimentos no Brasil

Atração de investimentos para o Brasil. Esse foi o foco do discurso do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante a abertura do Fórum Global de Economia do Turismo (GTEF, sigla em inglês), realizada em Macau, na China. Para uma plateia repleta de empresários e especialistas do setor, o ministro compartilhou as ações já realizadas pelo Governo Federal, como a abertura das empresas aéreas ao capital estrangeiro e a isenção de vistos à países estratégicos, que estão tornando o Brasil um grande destino de visitantes e de investimentos.

 

“Regidos agora por uma economia eminentemente liberal, assumimos o compromisso de melhorar o ambiente de negócios, e já há várias evidências nessa direção. Temos as mudanças na legislação trabalhista, que aprimoram as condições do investimento privado, cito aqui a abertura de empresas aéreas ao capital estrangeiro, o aproveitamento dos nossos Patrimônios Mundiais, gestão compartilhada de áreas do Estado, entre outras medidas que dão confiança a quem quer investir no nosso país”, pontuou.

 

Ainda durante a abertura oficial do Fórum Global de Economia do Turismo, o ministro agradeceu a oportunidade de representar o Brasil como convidado de honra e reforçou as principais conquistas do setor em 2019. Entre elas está a isenção de visto para os Estados Unidos, Japão, Austrália e Canadá, e a abertura do capital estrangeiro ao setor aéreo com a chegada das low costs ao Brasil. “Estou aqui para estreitar o relacionamento com a China, que é o maior parceiro comercial do nosso país”, concluiu.

 

Além da abertura, Álvaro Antônio, junto ao ministro do Turismo da Argentina, Gustavo Santos, concedeu uma entrevista coletiva com a imprensa local, e tratou de assuntos como o aumento do fluxo de chineses para o Brasil; Macau como destino para brasileiros conhecerem a China e possibilidades para tornar o ambiente de negócios do Brasil juridicamente seguro para facilitar investimentos de longo prazo.

 

“O trabalho em conjunto entre os países do Mercosul vai entregar produtos do setor interessantíssimos aos turistas de longa distância. Nosso objetivo é facilitar esse intercâmbio entre a China e o Brasil”, disse o ministro do turismo brasileiro. Macau e Brasil já têm isenção de visto há 20 anos. O objetivo é a ampliação de 3 para 12 visa centers em um acordo de cooperação entre o Itamaraty e o MTur.

 

Após a coletiva de imprensa, os ministros do Brasil e Argentina foram peças-chave de um almoço em homenagem aos países. Na ocasião, Marcelo Álvaro Antônio direcionou o seu breve discurso aos investidores presentes e reforçou a abertura de mercado em um novo momento que o Brasil vive. “Nós temos grandes destinos que interessam os chineses como o Pantanal, Foz do Iguaçu e também oferecemos uma oportunidade grande no turismo de negócios”, afirmou.

 

Neste ano, além de ter o Brasil, a Argentina e a província chinesa de Jiangsu como homenageados, a organização aposta em promover, pela primeira vez, a Conferência Mundial de Investimento e Financiamento do Turismo, na qual participam especialistas em investimento e líderes do turismo de topo a nível mundial.

 

Sobre a China

 

O país oriental é um dos que mais emitem turistas para o mundo. Hoje, dos mais de 141 milhões de chineses que viajam todo ano, cerca de 60 mil escolhem o Brasil como destino, tendo como principais motivações o turismo de negócios e o ecoturismo. Dados do Perfil da Demanda Turística Internacional, do Ministério do Turismo, mostram que os chineses movimentam, por dia, cerca de US$ 65. Destinos como São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Foz do Iguaçu (PR) e Manaus (AM) são alguns dos mais visitados por eles.

 

Fonte:MTur

Mais uma: companhia argentina Flybondi é a terceira low cost a operar voos para o Brasil

O Brasil tem mais uma empresa aérea low cost operando para o país. A companhia argentina Flybondi realizou seu voo inaugural na sexta-feira (11/10), saindo de Buenos Aires e chegando ao Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Autorizada a operar pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em julho, a Flybondi é a terceira low cost estrangeira a voar para o Brasil.

 

Com a chegada da Flybondi, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destacou a importância da entrada de novas companhias para aumentar a conectividade e a competitividade no setor. “A nova operação traz mais ofertas de baixo custo para os viajantes e faz parte de uma nova estratégia do Turismo, que coloca o setor no centro da agenda econômica do país. Vivemos um momento extremamente propício ao ambiente de negócios no Brasil, com impacto direto na vida da população, ampliação da disponibilidade de voos e a consequente redução de custos”, afirmou.

 

Além do Rio de Janeiro, a Flybondi já anunciou que deve começar a operar em Florianópolis ainda em 2019, com três voos semanais. A expectativa com a chegada da companhia aérea é de que mais turistas argentinos venham ao país, além do fortalecimento de uma gestão integrada do turismo com os países vizinhos. Segundo dados do Estudo da Demanda Turística Internacional do Ministério do Turismo, a Argentina foi o principal emissor de turistas estrangeiros ao Brasil em 2018, com quase 2,5 milhões de argentinos vindo ao país.

 

A primeira empresa estrangeira especializada em passagens de baixo custo a operar voos regulares internacionais para o Brasil foi a chilena Sky Airline, em novembro do ano passado. As rotas contemplam o trajeto direto de Santiago, no Chile, para os aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro; de Guarulhos, em São Paulo, e Hercílio Luz, em Florianópolis. A média é de cinco voos semanais para cada um desses terminais.

 

Logo depois, o país passou a contar também com a europeia Norwegian Air, que teve sua autorização concedida pela Anac em agosto de 2018. As vendas das primeiras passagens começaram no fim de novembro de 2018 para voos diretos entre Londres, no Reino Unido, e Rio de Janeiro, realizados desde março deste ano. A rota já tem voos às segundas, quartas e sextas-feiras, além de domingos, em aeronave com capacidade para até 344 passageiros.

 

Fonte: Mtur